Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Mar engole pedaço de uma praia em ilha da Austrália e assusta turistas

Afundamento de parte de um camping provoca retirada de quase 150 turistas

Imagem do vídeo publicado no Youtube.
Imagem do vídeo publicado no Youtube.

Um buraco com três metros de profundidade se abriu no último sábado na região de acampamento de Inskip Point, na ilha paradisíaca de Queen, no noroeste da Austrália. Embora não tenha havido feridos nem desaparecidos, quase 150 turistas tiveram de ser retirados, segundo informação do serviço de Parques e Vida Selvagem de Queensland.

Vários turistas acampados na praia Rainbow testemunharam a abertura súbita de uma espécie de ralo gigante que tragou uma parte do local onde se encontravam. O buraco engoliu quase imediatamente um automóvel, um trailer e um reboque de barracas de acampamento. Segundo informações da rádio australiana ABC News, uma mulher correu pelos campings mais próximos avisando as pessoas e incitando-as a se retirarem.

Melanie Wotherspoon, uma das campistas que estavam no local, divulgou um post em seu perfil no Facebook: “Sim, não conseguimos acreditar que tenhamos escapado. Achei que íamos morrer e estava realmente assustada com a rapidez que aquilo chegou ao nosso camping e como o engoliu”. É o segundo deslizamento de terra ocorrido nos últimos quatro anos no mesmo local. O último aconteceu em 2011, com dimensões semelhantes.

A Queensland Parques e Vida Silvestre (QPWS) isolou a área para impedir acesso de veículos e pedestres. Outras regiões de acampamento de Inskip Point continuam abertas, mas as autoridades aconselham que os campistas se mantenham distante da fenda que se abriu. A QPWS informou que continuará monitorando a situação e que engenheiros geotécnicos seriam enviados a fim de estudar a área afetada.

“Há uma possibilidade concreta de que o buraco aumente com as correntes marítimas, razão pela qual insistimos para que as pessoas evitem aquela área”, disse o major Dan Clifton. “Ao mesmo tempo em que avaliamos a situação, nossa prioridade é a segurança pública”.

MAIS INFORMAÇÕES