Um barco com 400 imigrantes a bordo naufraga em Lampedusa

A Guarda Costeira italiana consegue resgatar com vida cerca 200 pessoas Os agentes recuperam vários corpos do mar, a cerca de 100 milhas do sul da Itália

A chegada crescente de imigrantes à costa do sul da Itália durante os últimos dias pressagiava uma nova tragédia. Embora as notícias ainda sejam muito confusas, a imprensa italiana informa do naufrágio —cerca 100 milhas ao sul de Lampedusa e a 50 do norte da Líbia— de um barco com aproximadamente 400 pessoas a bordo. Pelo que parece, as lanchas rápidas da Guarda Costeira resgataram com vida cerca de 200 imigrantes, mas também são muitos os corpos recuperados do mar.

O sinal de alerta partiu de um rebocador a serviço de uma plataforma petrolífera. Até esse local estão se dirigindo os barcos e aviões do dispositivo Mare Nostrum, colocado em funcionamento pelo primeiro-ministro Enrico Letta após a tragédia —mais de 400 mortos— do último mês de outubro. Segundo declarou ao diário La Repubblica o chefe da capitania dos portos de Lampedusa, “ainda não se sabe quantas pessoas havia a bordo, mas os sobreviventes dizem que eram centenas”.

Não se trata, além disso, de uma notícia isolada. No domingo naufragou, em frente ao litoral da Líbia, um barco com 40 africanos que tentavam cruzar para a Europa e, na manhã desta segunda-feira, a Marinha Militar italiana desembarcou 61 menores de idade de nacionalidade somaliana que empreendia a travessia sozinho.

Outros 400 imigrantes alcançaram terra na localidade também siciliana de Trapani. E, no sábado, a Marinha Militar italiana informou que socorria em um prazo de 24 horas cerca de 1.600 imigrantes que tentavam acessar por mar a ilha da Sicília.

Arquivado Em: