Entre o medo do coronavírus e a luta contra o racismo e o fascismo

É importante que tenham sido os jovens os que venceram o medo e saíram às ruas para dizer BASTA à barbárie exibida por um chefe de Estado que ameaça matar seu futuro

Apesar das recomendações de manter uma distância de um metro, manifestantes se aglomeraram em ato a favor da democracia em São Paulo.
Apesar das recomendações de manter uma distância de um metro, manifestantes se aglomeraram em ato a favor da democracia em São Paulo.SEBASTIÃO MOREIRA / Efe

Duas jovens, Julia e Simone, na manifestação em São Paulo contra o racismo e o fascismo, resumiram ontem o clima que estavam enfrentando com a frase: “temos mais medo do racismo que do coronavírus”, recolhida por Carla Jiménez, diretora do EL PAÍS Brasil. As manifestações de ontem em várias cidades do país talvez tenham sido o começo de um movimento que poderia ser irrefreável contra

Mais informações