Ativista que liderou movimento contra máscara no Texas morre de covid-19

Caleb Wallace passou um mês hospitalizado após combater os primeiros sintomas com vitamina C, comprimidos de zinco e ivermectina

Caleb Wallace fala em uma entrevista coletiva sobre a situação da covid-19 na localidade de San Angelo, em novembro passado.
Caleb Wallace fala em uma entrevista coletiva sobre a situação da covid-19 na localidade de San Angelo, em novembro passado.Página de Facebook del Ayuntamiento de San Angelo
Mais informações

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar.

Caleb Wallace, um líder negacionista de 30 anos que liderou a campanha no Texas contra o uso das máscaras e outras medidas de combate à pandemia, morreu por causa da covid-19 depois de passar um mês hospitalizado, conforme informou a agência de notícias AP, citando o jornal local San Angelo Standard-Times.

“Caleb faleceu em paz. Viverá para sempre em nossos corações e mentes”, afirmou sua esposa, Jessica, que está grávida do quarto filho do casal, que já tem três meninas.

Em 4 de julho de 2020, Wallace organizou um protesto na localidade texana de San Angelo em que os participantes ostentavam cartazes contra o uso de máscaras e o fechamento de comércios como formas de enfrentar a pandemia. Os participantes também rejeitavam as evidências científicas sobre o coronavírus e se mostravam muito críticos à cobertura midiática do tema. Em abril, além disso, ele escreveu uma carta ao distrito escolar da cidade exigindo que fossem revogadas todas as medidas de prevenção contra o coronavírus.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Jessica Wallace disse ao jornal que seu marido começou a sentir sintomas em 26 de julho, mas que se recusou a fazer exame ou ir ao hospital. Em vez disso, tomou elevadas doses de vitamina C, comprimidos de zinco e a ivermectina, um medicamento contra parasitas que as autoridades sanitárias dos EUA já pediram que não seja usado contra o vírus, por não ser efetivo.

Wallace foi hospitalizado em 30 de julho e estava inconsciente desde 8 de agosto, internado na UTI e respirando com a ajuda de aparelhos. Na véspera da sua morte, sua mulher escreveu em redes sociais que ele era “um homem imperfeito, mas que ama sua família e suas filhas mais do que ninguém”. “A quem lhe deseja a morte, lamento que os pontos de vista e opiniões dele tenham lhe causado algum dano. Tenho rezado para que ele saia disto com uma nova visão e um maior apreço pela vida. Não posso dizer mais porque não posso falar por ele”, concluiu a mulher.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: