Pandemia de coronavírus

Alemanha gastará 130 bilhões de euros para combater crise causada pelo coronavírus

Merkel anuncia pacote de estímulo que inclui bônus por filhos, redução do IVA e verbas para os municípios

A chanceler alemã, Angela Merkel, anuncia um pacote de estímulo para a economia do país, na noite de quarta-feira.
A chanceler alemã, Angela Merkel, anuncia um pacote de estímulo para a economia do país, na noite de quarta-feira.JOHN MACDOUGALL / AFP

Os líderes da grande coalizão que governa a Alemanha aprovaram na noite desta quarta-feira, após dois dias de exaustivas reuniões, um pacote de 130 bilhões de euros (737 bilhoes de reais) em gastos públicos. Com essa medida, o gabinete da chanceler Angela Merkel pretende enfrentar as consequências do coronavírus para a maior economia europeia.

O pacote, que será aplicado neste ano e no próximo, inclui um bônus para famílias com filhos, redução na alíquota do imposto sobre valor agregado (que incidente sobre bens e serviços) e vários bilhões em ajuda às empresas. Em um gesto voltado a desonerar as famílias, o Governo pagará um bônus de 300 euros (1.700 reais) por criança, em parcela única, junto com o auxílio familiar habitual.

O plano se soma aos 156 bilhões de euros de um pacote aprovado em março, no início da pandemia. Seu escopo é mais amplo do que se antecipava nos últimos dias. Os líderes dos três partidos que compõem a grande coalizão alemã (os democratas-cristãos da CDU, os sociais-cristãos bávaros da CSU e os sociais-democratas do SPD) começaram a debater o pacote no começo da tarde de terça-feira e, após nove horas de reunião, decidiram retomar a discussão no dia seguinte.

De 1º de julho a 31 de dezembro de 2020, a alíquota normal do IVA será reduzida de 19% para 16%; e a alíquota reduzida, que incide sobre bens essenciais, passará de 7% para 5%. Também haverá isenção tributária na tarifa elétrica para lares e empresas.

Destaca-se também a ajuda aos municípios, que receberão bilhões de euros do Governo federal. Os líderes da CDU, SPD e CSU concordaram que qualquer déficit tributário resultante da redução do IVA será compensado pelo Governo alemão e pelos Estados.

Os líderes da coalizão também decidiram liberar bilhões em ajuda adicional a setores que foram particularmente afetados pela crise. De acordo com a resolução da reunião, está previsto um “auxílio-ponte” de até 25 bilhões de euros. Outros 50 bilhões serão destinados a investimentos em tecnologias do futuro, incluindo a promoção de carros elétricos e mais estações de carga. A tecnologia de hidrogênio e a inteligência artificial também serão promovidas. Como no caso do abatimento no IVA, a perda de arrecadação pela desoneração das empresas será compensada pelo Governo federal e pelos Länder (Estados).

Informações sobre o coronavírus:

- Clique para seguir a cobertura em tempo real, minuto a minuto, da crise da covid-19;

- O mapa do coronavírus no Brasil e no mundo: assim crescem os casos dia a dia, país por país;

- O que fazer para se proteger? Perguntas e respostas sobre o coronavírus;

- Guia para viver com uma pessoa infectada pelo coronavírus;

- Clique para assinar a newsletter e seguir a cobertura diária.

Mais informações