_
_
_
_
_

Trump suspenderá concessão de ‘green cards’ por 60 dias para “proteger o trabalhador americano”

Presidente dos EUA afirma que sua ameaça de “suspender a imigração” afeta apenas temporariamente os pedidos de residência permanente

Donald Trump e Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos EUA, na coletiva de imprensa desta terça-feira.
Donald Trump e Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos EUA, na coletiva de imprensa desta terça-feira.MANDEL NGAN (AFP)

“Suspender a imigração aos Estados Unidos”, como anunciou o presidente Donald Trump na noite de segunda-feira, consiste em paralisar durante dois meses a concessão de autorizações permanentes de residência, os green cards. O esclarecimento veio da boca do próprio Trump na coletiva de imprensa desta terça-feira na Casa Branca, depois de horas em que políticos, empresas e imigrantes tentavam entender o alcance de uma ameaça desse calibre lançada no Twitter. Trump justificou a decisão para “proteger o trabalhador americano” em uma iminente volta à atividade paralisada pela emergência sanitária da covid-19.

Mais informações
April 18, 2020 - Austin, Texas USA:  A few hundred Texans flaunt social distancing guidelines in an InfoWars inspired rally at the Texas Capitol where founder Alex Jones encourages the crowd with right-wing rhetoric. Gov. Greg Abbott announced Friday relaxed restrictions on business starting next week. (Bob Daemmrich/Contacto)


18/04/2020 ONLY FOR USE IN SPAIN
Protestos contra o confinamento crescem nos EUA incentivados por Donald Trump
O governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB), em novembro de 2018, em sua casa em Brasília.
Governador do Distrito Federal: “Mandetta fez bom trabalho, mas acho que já foi tarde”
GRAF3353. ROMA, 20/04/2020.- Detrás de una mesa en la iglesia de San Giuseppe a Trionfale, en Roma, un grupo de voluntarios reparten bolsas con comida, mientras que al otro lado una cola de decenas de personas espera su turno, bajo la lluvia, para recibir la "compra solidaria" del rebautizado como San Giuseppe Market. EFE/Álvaro Caballero
Vírus inverte os papéis históricos do norte e do sul na Itália

Apenas dois detalhes foram abordados na conferência de imprensa do presidente sobre um assunto que afeta centenas de milhares de pessoas. A suspensão da concessão de autorizações permanentes durará 60 dias, prorrogáveis dependendo das circunstâncias, que serão avaliadas pelo próprio Trump. Ele também se mostrou aberto a reduzir esse período. Afeta apenas essas autorizações e não as centenas de milhares de vistos de não imigrante ou as autorizações de trabalho temporárias concedidas a trabalhadores rurais ou profissionais médicos.

“Vamos abrir a América”, anunciou o presidente, cuja maior preocupação no momento parece ser o dano à atividade econômica devido às medidas de contenção da propagação do vírus, que já matou mais de 44.000 norte-americanos. Nesse contexto, disse que queria “colocar os americanos em primeiro lugar na fila” para recuperar o emprego em uma eventual recuperação econômica. Também mencionou que queria “reservar recursos cruciais para os americanos”.

Embora a medida reduza muito o alcance do conceito de “suspensão da imigração”, ainda afeta centenas de milhares de pessoas. Os Estados Unidos concederam 1,18 milhão de green cards em 2018, o último ano para o qual existem dados completos. O número se manteve ao redor de um milhão na última década. Aproximadamente metade é para pessoas que já estão no país. A maioria (cerca de 900.000) foi concedida por razões familiares. Apenas 138.000 foram de autorizações justificadas por trabalho. Por país, o maior número de solicitantes é do México, Cuba, China e Índia. Mais da metade dos beneficiários do green card vive em apenas quatro Estados, as quatro maiores economias dos Estados Unidos: Califórnia, Nova York, Flórida e Texas.

Além disso, os Estados Unidos concederam 8,7 milhões de vistos de não imigrante em 2019, ou seja, não são autorizações de trabalho. A suspensão dos serviços consulares devido ao coronavírus já havia congelado de fato a concessão de vistos.

Trump afirmou que haveria exceções na ordem executiva (decreto), mas não deu mais detalhes. Remeteu-se a uma informação posterior. “A ordem está sendo redigida neste momento”, disse. Adiantou que provavelmente estará pronta para ser assinada na quarta-feira. De suas palavras se deduz que planeja modificar a ordem no decorrer dos acontecimentos se necessário. Perguntado se não estava aproveitando a crise para usar o trunfo da imigração, respondeu: “Espero que um dia estejamos na posição de ter esse debate (sobre a imigração em geral). Neste momento, não”, disse.

“Tínhamos a melhor economia do mundo e tivemos que fechá-la”, argumentou Trump. “Quero que nossos cidadãos tenham trabalho e que não tenham concorrência. Esta é uma situação muito inusual. Ninguém viu nada assim em muitas, muitas décadas. Não quero que compitam. Existe muita diferença em relação a uma situação na qual temos uma economia funcionando a todo vapor.”

Trump disse expressamente que a medida “não afeta os agricultores”, reconhecendo implicitamente que os trabalhadores rurais são essenciais para colocar alimentos nos supermercados. O trabalho rural é feito principalmente por imigrantes sem documentos.

Informações sobre o coronavírus:

- Clique para seguir a cobertura em tempo real, minuto a minuto, da crise da Covid-19;

- O mapa do coronavírus no Brasil e no mundo: assim crescem os casos dia a dia, país por país;

- O que fazer para se proteger? Perguntas e respostas sobre o coronavírus;

- Guia para viver com uma pessoa infectada pelo coronavírus;

- Clique para assinar a newsletter e seguir a cobertura diária.


Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_