Globo de Ouro 2021
Análise
Exposição educativa de ideias, suposições ou hipóteses, baseada em fatos comprovados (que não precisam ser estritamente atualidades) referidos no texto. Se excluem os juízos de valor e o texto se aproxima a um artigo de opinião, sem julgar ou fazer previsões, simplesmente formulando hipóteses, dando explicações justificadas e reunindo vários dados

Indicações ao Globo de Ouro 2021: velhos conhecidos, surpresas e um grande esquecimento

‘The Crown’ e ‘Schitt’s Creek’ lideram as candidaturas que deixaram de fora uma das melhores produções do ano passado, ‘I May Destroy You’

Olivia Colman na quarta temporada de ‘The Crown’. A série tem seis candidaturas no Globo de Ouro 2021.
Olivia Colman na quarta temporada de ‘The Crown’. A série tem seis candidaturas no Globo de Ouro 2021.Ollie Upton (Ollie Upton/Netflix)

Em 2020, tudo foi feito por meio de telas. A televisão esteve mais presente do que nunca no dia a dia, no trabalho, no lazer, no entretenimento, nos relacionamentos... Enquanto tudo ficava de cabeça para baixo, a televisão continuava lá. As plataformas viveram um momento dourado na primeira onda da pandemia, o número de assinantes disparou na Netflix, a Disney+ conseguiu em seu primeiro ano um número de assinantes igual ao que esperava em três anos, nunca foram vistas antes tantas horas de televisão com sinal aberto. No dia 28 de fevereiro, o Globo de Ouro premiará as produções que tentaram nos fazer acreditar que existe um lugar onde a velha normalidade ainda existe, que nada mudou. Que os abraços continuam e os sorrisos não têm uma máscara na frente.

Mais informações

As indicações nas categorias de televisão (ou séries, para ser mais exato, porque muitos dos filmes candidatos deste ano foram lançados em plataformas, o que talvez explique a ausência de filmes nas categorias de minisséries ou filme para televisão) foram em frente com essa aparência de normalidade que a ficção reflete. Duas velhas conhecidas se colocaram à frente no número de indicações. A quarta temporada de The Crown, com seis candidaturas (melhor drama e praticamente todo o elenco principal), lidera as categorias de drama, assim como no ano passado. Schitt’s Creek, a comédia que arrasou no Emmy com sua última temporada, segue-a de perto com cinco possibilidades de estatueta. Em seguida, Ozark, outra veterana, conseguiu receber quatro indicações entre as categorias de drama.

Embora velhas conhecidas estejam à frente, o Globo de Ouro, ao contrário do Emmy, é conhecido por sua abertura às novidades. Na categoria de melhor drama, ousou incluir uma raridade como Lovecraft Country, uma combinação de aventura, drama e toques de terror com o tema da raça em seu centro, cuja estreia coincidiu com o ressurgimento do movimento Black Lives Matter. A segunda temporada de The Mandalorian também conseguiu uma indicação de melhor drama, embora, como acontece com Lovecraft Country, seja sua única indicação. Ratched é a quinta na disputa (junto com The Crown e Ozark) em uma categoria em que parece que o duelo será entre as duas veteranas.

O racismo também está no centro de outro título favorito nas categorias de minissérie, Small Axe. A série com cinco episódios autoconclusivos criada por Steve McQueen tem duas indicações, melhor minissérie e ator coadjuvante para John Boyega. As quatro de The Undoing a colocaram entre as produções mais indicadas, graças ao seu elenco de categoria com Nicole Kidman, Hugh Grant e Donald Sutherland. Títulos como O Gambito da Rainha, Unorthodox ou mesmo Normal People, que completam os indicados nesta categoria, têm mais possibilidades de enfrentar Small Axe.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Na comédia, o veteranismo de Schitt’s Creek terá um rival difícil na recém-chegada Ted Lasso, uma das estreias favoritas da crítica da segunda metade do ano passado. O otimismo da produção da Apple TV+ e seu cativante personagem principal (interpretado pelo indicado Jason Sudeikis) é um tipo de ficção que leva adiante o desafio das sitcoms clássicas, construindo um mundo feliz que contrasta com a crueza da realidade pandêmica. A reinterpretação absurda da história de The Great, o thriller frenético de The Flight Attendant e a fuga um tanto ingênua na que aposta Emily in Paris completam o quadro das candidatas a melhor comédia.

Assim como acontece nas categorias de cinema, a Netflix é a clara vencedora em número de indicações, com um total de 20 com suas séries. Além de The Crown e Ozark, títulos como O Gambito da Rainha, Unorthodox, Emily in Paris e Ratched ajudaram a plataforma a se colocar na frente em numero de possibilidades de vitória em uma premiação que, mais uma vez, deixaram os representantes da televisão aberta (como a candidatura de Jane Levy por Zoey’s Extraordinary Playlist) como meros participantes contra plataformas pagas (a Hulu tem seis indicações, a Prime Video três, a HBO Max duas, a Apple TV+ duas) e canais a cabo.

Mas se algo surpreende nas indicações de televisão para o Globo de Ouro, e mais ainda com sua fama de abertura, é a ausência total de I May Destroy You, considerada por muitos críticos e publicações especializadas como uma das melhores séries de 2020. A inovadora tragicomédia criada por Michaela Coel, uma coprodução da BBC e da HBO, que explora, entre muitos outros temas, os limites do consentimento sexual, ficou fora dos prêmios da Associação da Imprensa Estrangeira, enquanto já tem duas indicações para o Critics Choice Awards. What We Do in the Shadows, uma das comédias que mais recebeu elogios no ano passado com sua segunda temporada, também não estará presente na premiação. Mas Better Call Saul sim, embora não entre as escolhidas na categoria melhor drama: só conseguiu uma indicação para seu protagonista, Bob Odenkirk.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: