Coronavírus freia gravações de novelas da Globo e adia estreias culturais em todo o mundo

Sem novos capítulos, ‘Amor de Mãe’, sucesso no horário das 21h, terá reprise a partir de 21 de março. Em Hollywood, rombo da indústria de cinema já chega a 5 bilhões de dólares

A atriz Regina Casé, em cena de 'Amor de mãe'.
A atriz Regina Casé, em cena de 'Amor de mãe'.Rede Globo

A pandemia de coronavírus fez com que a Rede Globo suspendesse por tempo indeterminado as gravações da novela das 21h, Amor de mãe. A trama de Manuela Dias, que tem feito sucesso no horário nobre, terá capítulos inéditos exibidos até o dia 21 de março e, depois disso, será reprisada: os espectadores serão avisados de que acompanharão, a partir da semana que vem, um “grande resumo” da história. A emissora também interromperá as gravações da novela das 19h, Salve-se quem puder, “para preservar a saúde do elenco e demais funcionários”. O enredo de Éramos seis, que vai ao ar às 18h e está previsto para terminar no final de março, continuará normalmente, mas a novela substituta, Nos tempos do Imperador, será adiada. Os executivos da emissora se reunirão na tarde desta segunda-feira pare decidir como ficará a grade de programação.

Além de ficar longe de Dona Lurdes, protagonista de Amor de Mãe vivida por Regina Casé, os espectadores também terão que esperar para ver a atriz no cinema. O filme Três Verões, uma das grandes apostas do cinema nacional deste ano, em que Casé vive a governanta de uma mansão cuja família foi afetada pela Operação Lava Jato, teve adiada sua estreia, prevista para o dia 19 de março. Não há nova data de lançamento, apesar de já ter havido uma pré-estreia na semana passada.

As salas de cinema do Rio de Janeiro estão fechadas desde a última sexta-feira (14/03), por orientação da Prefeitura e do Governo do Estado. Em São Paulo, o governador João Doria orientou que cinemas, teatros e casas de shows no Estado devem ficar fechados por trinta dias, no mínimo, a partir desta terça-feira (17/03). No último final de semana, a bilheteria dos cinemas brasileiros caiu 50% com relação ao fim de semana de 5 a 8 de março, de acordo com a consultoria Comscore Brasil.

O coronavírus também provocou adiamentos e cancelamentos na indústria da música. O Lollapalloza Brasil, um dos maiores festivais do país, inicialmente previsto para acontecer entre os dias 3 e 5 de abril, em São Paulo, foi remarcado para 4 a 6 de dezembro. A organização do festival, cujas edições no Chile e na Argentina também foram adiadas —aconteceriam dia 27 de março e ainda não têm nova data—, afirma que as principais atrações (The Strokes, Guns’n’Roses e Travis Scott) estão confirmadas no final do ano. A banda britânica McFly, cuja turnê pelo Brasil começaria no final de março, também adiou as apresentações no país. Agora, os shows em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Uberlândia estão previstos para ocorrer entre setembro e outubro.

O impacto em Hollywood

Até o momento, a pandemia de coronavírus já causou um rombo de cinco bilhões de dólares na indústria cinematográfica hollywoodiana, de acordo com estimativas da revista especializada The Hollywood Reporter. As principais promessas de blockbuster do ano, o live action Mulan, da Disney, e 007 - Sem tempo para morrer, da Universal Pictures, que tinham estratégias de lançamento iniciadas na China, tiveram suas estreias adiadas para o final do ano. No país asiático, que é o segundo mercado de cinema do mundo e que foi o primeiro epicentro de Covid-19, todas as 70.000 salas de cinema estão fechadas.

Entre as plataformas de streaming, a Netflix suspendeu por pelo menos duas semanas todas as gravações de filmes e séries nos Estados Unidos e no Canadá. A medida pode afetar, por exemplo, o lançamento da quarta temporada de Stranger Things, que deveria estrear este ano, mas tudo indica que só voltará ao catálogo da plataforma em 2021. Séries da Netflix rodadas em outros países, como The Witcher, que é gravada na Inglaterra, seguem com o cronograma de produção.

A HBO, que faz parte do conglomerado Warner Television, também anunciou a paralisação da produção de diversas de suas séries, entre elas a segunda temporada do drama juvenil Euphoria. O elenco da obra, estrelada por Zendaya, havia retomado os trabalhos na semana passada e recebeu a decisão da plataforma apenas 48 horas depois da primeira reunião de leitura do roteiro.



Mais informações