Não falar

Diante de 100.000 mortos, ocupar os espaços públicos para falar à classe média como suportar a pandemia é só outra forma de puxar o gatilho

Ativista posiciona bandeira do Brasil em protesto da ONG Rio de Paz pelas vítimas do coronavírus, no Rio de Janeiro, no domingo.
Ativista posiciona bandeira do Brasil em protesto da ONG Rio de Paz pelas vítimas do coronavírus, no Rio de Janeiro, no domingo.Antonio Lacerda / EFE

A ideia inicial era escrever outro artigo. Depois de meses envolto em questões sobre pandemia e escalada autoritária, a ideia era falar de algo outro., qualquer coisa de outro. Mas é possível que em situações parecidas o dito de Adorno “Não é possível fazer poesia após Auschwitz” ganhe certa atualidade e se imponha em sua força. Um dito arquiconhecido, é verdade, mas que talvez queira dizer algo muito preciso e por vezes esquecido. Claro que não significava que a poesia era agora coisa do pa...

Mais informações