_
_
_
_
_

O poderoso discurso feminista de Ocasio-Cortez ante os insultos de um congressista republicano

Deputada argumenta contra a cultura da impunidade e a linguagem machista e sexista que é tolerada nos Estados Unidos

Alexandria Ocasio-Cortez, nesta quinta-feira no Congresso dos EUA. No vídeo, o discurso da deputada. /.FOTO: AP | VÍDEO: EPV
Mais informações
Trump aparece por primera vez con mascarilla en público durante una visita a un hospital el pasado 11 de julio.
A 100 dias das eleições e atrás de Biden nas pesquisas, Trump inicia empreitada midiática
(FILES) This file photo taken on September 18, 2012 shows a Chinese paramilitary policeman gesturing to photographers at the entrance to the US consulate in Chengdu, southwest China's Sichuan province. - China said on July 24, 2020 it had revoked the license for the US consulate in the southwestern city of Chengdu, in retaliation for the closure of China's Houston consulate earlier this week. (Photo by GOH Chai Hin / AFP)
Em novo embate, EUA pedem guerra à “tirania”, e China ordena fechamento de consulado americano
Handout picture released by the Venezuelan Presidency showing Venezuela's President Nicolas Maduro delivering a speech during the promotion ceremony of military professional personnel at the Cuartel de la Montana Museum in Caracas, on July 2, 2020, amid the COVID-19 novel coronavirus pandemic. - Venezuela has reversed its decision to expel the EU's ambassador to Caracas ordered by President Nicolas Maduro, a statement said on Thursday, ending a tit-for-tat diplomatic row.vMaduro on Monday gave the EU's Isabel Brilhante Pedrosa 72 hours to leave the country in response to European sanctions against 11 Venezuelans. (Photo by JHONN ZERPA / AFP) / RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT "AFP PHOTO / VENEZUELA'S PRESIDENCY / JHONN ZERPA" - NO MARKETING - NO ADVERTISING CAMPAIGNS - DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS
Denúncias de graves violações dos direitos humanos elevam a tensão entre Maduro e a ONU

Alexandria Ocasio-Cortez fez um poderoso discurso feminista nesta quinta-feira no Congresso dos Estados Unidos. Nele, denunciou os insultos machistas que recebeu de um deputado republicano na segunda-feira, mas também falou sobre a ampla cultura da linguagem misógina nos Estados Unidos. A deputada democrata por Nova York afirmou que na segunda-feira o representante republicano da Flórida Ted Yoho gritou com ela nos corredores do Capitólio, depois de um acalorado debate sobre o aumento do crime e do desemprego em Nova York. Segundo o relato de Ocasio-Cortez, Yoho parou na frente dela, apontou para ela com o dedo e a chamou de “desagradável, louca e perigosa”. Depois, deu alguns passos para se afastar e, diante de vários jornalistas, lançou um grave xingamento machista contra ela.

Ocasio-Cortez fez uma ampla exposição sobre a normalização da cultura machista na sociedade norte-americana e entre a classe política de Washington. “Todas nós tivemos que lidar com isto de alguma maneira e em algum momento de nossas vidas”, disse ela. A congressista lembrou que outros membros do Partido Republicano fizeram comentários desagradáveis sobre ela e que até o presidente Donald Trump incentivou outros políticos a agredi-la verbalmente. “Isso não é novo, e esse é o problema. O problema é que não é apenas um incidente, é cultural. É uma cultura de impunidade, de aceitar a violência e a linguagem violenta contra as mulheres, e toda uma estrutura de poder que a sustenta”, acrescentou.

Após o incidente, o congressista Yoho justificou seu comportamento como resultante da intensidade do debate que o precedeu e argumentou que “tem esposa e duas filhas”. Ocasio-Cortez explicou que o fato de o congressista ter usado as mulheres de sua família como escudo para evitar assumir a responsabilidade por seu comportamento foi um estímulo para ela denunciar publicamente o incidente. “Eu não preciso que o deputado Yoho se desculpe comigo. Claramente ele não quer. Claramente, quando lhe é dada a oportunidade, ele não faz isso, e eu não vou ficar acordada até tarde da noite esperando um pedido de desculpas de um homem que não se arrepende de insultar mulheres e usar linguagem ofensiva com as mulheres”, disse ela.

A deputada, de origem porto-riquenha, disse que a normalização dos insultos contra as mulheres faz parte de um padrão e um comportamento generalizado em vários setores, nos quais homens com poder autorizam os demais a usar linguagem insultuosa. “Não foi apenas um incidente direcionado a mim, quando faz isso com qualquer mulher, o que o senhor Yoho faz é dar a outros homens permissão para fazer o mesmo com as filhas, a esposa e as mulheres da sua comunidade. E eu estou aqui para dizer que isso não é aceitável”, afirmou.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_