Pandemia de coronavírus

São Paulo prorroga quarentena para até 10 de maio

Serviços não essenciais do Estado estão suspensos desde 24 de março. Prorrogação pretende evitar o “colapso na saúde pública e privada”, já que alguns hospitais já têm mais de 80% dos leitos de UTI ocupados

Pessoas praticam corrida na avenida Paulista na semana passada.
Pessoas praticam corrida na avenida Paulista na semana passada.Ricardo Matsukawa

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira a prorrogação da quarentena em todo o Estado até o dia 10 de maio. Todos os municípios paulistas estão com seus serviços não essenciais em suspenso desde o primeiro dia da quarentena, em 24 de março. Esta é segunda vez que o Governo paulista anuncia o adiamento do fim da suspensão. Os princípios do isolamento serão os mesmos estabelecidos desde o início, permitindo a permanência da abertura de serviços como farmácias, mercados, hospitais, todo o setor de indústria, além de bares, restaurantes e padarias contanto que no sistema de entrega. Escolas, academias, lojas, shoppings e demais serviços devem permanecer fechados, sob risco de cassação do alvará.

De acordo com Doria, a prorrogação da quarentena foi decidida para evitar um “colapso nos hospitais públicos e privados”. Mas, na capital, os maiores hospitais já estão com ocupação de leitos de UTI superior a 70% desde o início da semana. Na quarta-feira, o Hospital Emílio Ribas anunciou que havia chegado a 100% de ocupação de seus 30 leitos de terapia intensiva e que mais 20 novos leitos seriam abertos.

Os índices em São Paulo crescem em alta velocidade. Na quinta-feira, a Secretaria da Saúde do Estado informou que a cada meia hora uma pessoa morre por coronavírus no Estado. Até então, eram registrados 853 óbitos em decorrência da doença e 11.568 casos confirmados da covid-19. Dentre os enfermos, 1.125 estão internados em UTI e 1.259 em enfermarias.

Além disso, o isolamento social na capital caiu nesta quinta-feira para 49%. Nos últimos dias, o percentual era de 50%, ainda abaixo dos 70% considerados ideal pelo Governo paulista. De acordo com o médico infectologista David Uip, que coordena o Centro de Contingência para o Coronavírus em São Paulo, o índice de isolamento de 49% já acende um farol amarelo nas autoridades. “Cinquenta por cento é um bom número, mas o nosso objetivo é tentar aumentar a cada dia", afirmou. "Mas 49% é farol amarelo”. São Sebastião e Ubatuba, no litoral norte, e Lorena, no Vale do Paraíba, são os três municípios com os melhores índices de isolamento social até o momento, segundo o Governo.

Na semana passada, o governador afirmou que a Polícia Militar estava autorizada a agir para evitar aglomerações e cogitou até mesmo a prisão daqueles que não obedecerem as regras do isolamento social. Nesta sexta-feira, Doria disse que pode tomar medidas mais drásticas, mas não disse quais, caso os índices de isolamento continuassem caindo.

Informações sobre o coronavírus:

- Clique para seguir a cobertura em tempo real, minuto a minuto, da crise da Covid-19;

- O mapa do coronavírus no Brasil e no mundo: assim crescem os casos dia a dia, país por país;

- O que fazer para se proteger? Perguntas e respostas sobre o coronavírus;

- Guia para viver com uma pessoa infectada pelo coronavírus;

- Clique para assinar a newsletter e seguir a cobertura diária.

Mais informações