Inep encontra inconsistência em correção do Enem

Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, problema será solucionado até segunda-feira

O ministro da Educação, Abraham Weintraub.
O ministro da Educação, Abraham Weintraub.Gabriel Jabur/MEC

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, informou hoje (18) que foram encontrados quatro casos de inconsistências na correção da segunda prova do exame, cujos resultados foram divulgados ontem (17).

Devido ao erro, alguns alunos relataram nas redes sociais terem sido surpreendidos com notas baixas.

Pelo Twitter, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que até segunda-feira (20) o problema será resolvido e ninguém será prejudicado. Segundo o ministro, o alcance do problema é “muito baixo”.

Mais informações
Sérgio Moro y Jair Bolsonaro, el pasado 7 de julio.
Judiciário se levanta contra o juiz das garantias, e STF adia medida
O que você desejaria neste Dia da Consciência Negra? Foi a partir dessa pergunta que o El País Brasil compôs essa galeria de imagens, com mensagens de leitores em celebração a este 20 de novembro. Veja o que alguns dos brasileiros esperam da data nas próximas fotos. E você: o que espera neste dia? Envie sua imagem para voceleitor@elpais.com.br ou via Facebook ou Twitter.
Do genocídio negro à ‘palmitagem’, debate sobre racismo se multiplica e enfrenta contradições
Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub.
Bolsonaro impõe regras para eleger reitores de universidades e institucionaliza veto a mais votado

Gráfica

Em coletiva de imprensa realizada nesta manhã, em Brasília, o presidente do Inep, Alexandre Lopes, explicou que o erro foi provocado pela gráfica responsável pela impressão da prova.

Segundo o presidente, o arquivo enviado pela empresa para a Cesgranrio e para a Fundação Getúlio Vargas (FGV), responsáveis pela aplicação da prova, provocou o problema. Dessa forma, no caso de quatro alunos, o gabarito não era da cor da prova feita pelo aluno, fato que provocou erro na correção.

De acordo com Lopes, cerca de 1% dos alunos que fizeram a prova pode ser atingido.

“Nós encontramos até o momento quatro inconsistências de notas. Nós vamos corrigir e continuaremos durante todo o final de semana rodando nossa base de dados para identificar outros possíveis casos de inconsistências”, afirmou.

O Inep colocou à disposição um endereço de e-mail para que os alunos tirem dúvidas sobre suas notas e possam pedir a verificação de sua situação. O endereço eletrônico é enem2019@inep.gov.br.

(Esta reportagem foi originalmente publicada no site da Agência Brasil)

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS