Música brasileira

Lupicínio Rodrigues, o mestre do samba ‘dor-de-cotovelo’

Sambista gaúcho, autor do hino do Grêmio e de célebres marchinhas de carnaval imortalizadas por vários intérpretes brasileiros, faria 105 anos nesta segunda-feira. Seu aniversário foi lembrado por um doodle do Google

Lupicínio Rodrigues, em uma imagem de arquivo. Cantor e compositor nascia há 105 anos em Porto Alegre (RS).
Lupicínio Rodrigues, em uma imagem de arquivo. Cantor e compositor nascia há 105 anos em Porto Alegre (RS).

MAIS INFORMAÇÕES

Um dos maiores embaixadores dos amores mal resolvidos, Lupicínio Rodrigues nascia há 105 anos, em 16 de setembro de 1914, colocando em definitivo seu município natal, Porto Alegre (RS), no mapa das cidades que mais contribuiriam para disseminar o samba pelo Brasil. Seus versos inspirados em desencontros, rejeições, despedidas e traições ajudariam a cunhar o termo música dor-de-cotovelo, expressão que identifica os que sofrem de amor afogando suas mágoas sobre uma mesa de bar. Suas canções românticas seriam imortalizadas pelas vozes de intérpretes como Francisco Alves, Elza Soares, Jamelão, Paulinho da Viola, Gal Costa, Marisa Monte, Gilberto Gil, entre tantos outros.

Mas não foi só de desilusões amorosas que Lupi, como era conhecido desde a infância, ficaria famoso. Apaixonado por futebol, assinaria a autoria do hino do Grêmio, de quem era fervoroso torcedor.

Os esboços do doodle que homenageou Lupicínio Rodrigues.
Os esboços do doodle que homenageou Lupicínio Rodrigues.Matthew Cruickshank

Também compôs célebres marchinhas carnavalescas, inspiradas em sua paixão pela boemia. Seu gosto pela vida noturna tiraria o sono de seu pai, que o obrigou a se apresentar no Exército voluntariamente, ainda adolescente. Mas a despeito dos esforços da família, Lupicínio Rodrigues nunca abandonou a boemia. Ainda no quartel, compôs a marchinha Carnaval, escrita para o cordão carnavalesco Prediletos, que venceria um concurso de marchas. O gaúcho dizia, aliás, que não era compositor nem cantor, somente um boêmio. Foi proprietário de bares e churrascarias na capital gaúcha.

E atribuía à boemia seu lado sentimental, a inspiração para músicas como Vingança, Felicidade, Loucura e Volta.

Numa época em que as rádios eram dominadas pelas músicas criadas no eixo Rio-São Paulo, entre os anos 1940 e 1950, o sentimentalismo de Lupicínio Rodrigues não caberia no Rio Grande do Sul, transbordaria. O gaúcho dizia que a inspiração para tantas canções de sofrência vinha de sua própria vida.

"Esta é uma história muito complicada. Foi quando eu fui noivo pela primeira vez e encontrei a minha noiva de braço com um cidadão e ela me disse que se casaria com o primeiro sujeito que ela encontrasse", segundo contou durante a gravação de um programa da TV Cultura, em 1972, dois anos antes de morrer. A música a que ele se referia era Nervos de Aço: "Você sabe o que é ter um amor, meu senhor | Ter loucura por uma mulher | E depois encontrar esse amor, meu senhor | Nos braços de um tipo qualquer."

Faleceu aos 59 anos, em Porto Alegre, em 27 de agosto de 1974. Mas sua obra nunca morreu. Nesta segunda-feira,seu aniversário foi lembrado com um doodle do Google, 45 anos após sua morte.

Doodle em homenagem aos 105º Aniversário de.
Doodle em homenagem aos 105º Aniversário de.

Arquivado Em: