Os pais que morreram protegendo o filho e outras vidas ceifadas pelo assassino de El Paso

Mexicanos e norte-americanos estão entre as 22 pessoas que morreram no tiroteio em um mercado na cidade fronteiriça

Mais informações

Na tarde de sábado, quando voava a sua cidade, El Paso, horas depois do massacre, o candidato às primárias do Partido Democrata Beto O’Rourke começou a conversar com um homem no avião, que também voltava para casa. Este lhe pediu que o acompanhasse para ver sua mãe, Rose Mary, internada na UTI. Patrick Crusius atirou em seu peito e a mulher lutava pela vida. Rose Mary estava melhor, e no domingo já havia conseguido se sentar. “De onde tira coragem?”, se perguntou O’Rourke. E encontrou a resposta quando, pouco depois, foi visitar a mãe da mulher, também internada com uma bala no estômago. A mãe idosa, ensanguentada, ajudou outros no Wal-Mart até desabar. Outra de suas filhas também está entre as vítimas, e continuava internada em outro hospital na segunda-feira. Três mulheres, duas gerações, uma família, três tiros, dois hospitais. Uma das muitas histórias que ilustram o caótico drama que vive a cidade de El Paso desde sábado.

Na segunda-feira, o número de vítimas chegou a 22, com o falecimento de dois dos feridos. Outros cinco ainda estavam em estado grave. Até a tarde de domingo os cadáveres ainda não haviam sido retirados do interior do Wal-Mart. Oito dos mortos são de nacionalidade mexicana, a maioria do Estado vizinho de Chihuahua. As autoridades norte-americanas não informaram, até a manhã de segunda-feira, as identidades de todos os falecidos. Mas nos dois dias depois da matança suas histórias começaram a surgir.

Jordan e Andre Achondo, de 24 e 23 anos, deixam três órfãos. Acabavam de comemorar seu primeiro aniversário de casamento e faziam compras para a volta às aulas dos dois filhos mais velhos de Jordan no Wal-Mart, acompanhados de seu bebê de quatro meses. O nariz quebrado do bebê indica que a mãe se lançou sobre ele para tentar cobri-lo antes de receber um tiro mortal. O pai teve o mesmo destino quando quis servir de escudo a sua esposa.

Com 86 anos, Angie Englisbee é a vítima mortal mais velha. Falou pela última vez com seu filho no sábado às 10h30, enquanto esperava sua vez nas caixas do Wal-Mart. Minutos depois foi atingida pelas balas. Javier Rodríguez, de 15 anos, estava no outro extremo de idade. Os alunos do colégio Horizon, na periferia da cidade, voltaram nesta segunda-feira às aulas sem seu colega.

Iván Manzano, morador de Ciudad Juárez, atravessou a fronteira na manhã do tiroteio acompanhado de sua tia, Patricia Manzano, para pegar um pacote com um pedido para seu negócio, segundo o El Paso Times. A mulher escapou à matança porque foi fazer compras em outro Wal-Mart. Seu sobrinho faleceu.

Sara Esther Regalado e Adolfo Cerros Hernández eram de nacionalidade mexicana, segundo a confirmação do chanceler mexicano Marcelo Ebrard. O casal morava em Ciudad Juárez e foi a El Paso para fazer compras. A filha dos dois, Sandra Cerros, comunicou que a família foi notificada das mortes.

Arturo Benavides, de 59 anos, era morador de El Paso. Estava pagando uma compra, enquanto sua esposa, Patty, estava no banheiro e conseguiu escapar do atirador. O falecido era veterano do exército e motorista de ônibus.

O Governo mexicano também confirmou que entre as vítimas está Gloria Irma Márquez, de Ciudad Juárez. Assim como María Eugenia Legarreta Rothe, de Chihuahua. A mulher era irmã da pintora e escultora Martha Legarreta, informa o jornal Reforma. Ia ao aeroporto para buscar sua filha que chegava de um acampamento e parou no Wal-Mart.

Outra das vítimas de nacionalidade mexicana é Elsa Mendoza de la Mora, de Yepomera (Chihuahua), que foi descrita nas redes sociais por seu marido, Antonio de La Mora, como “uma mulher maravilhosa e cheia de luz”. Mendoza morava em Ciudad Juárez onde era professora de escola primária. Deixa dois filhos adolescentes. “Ela estava com seu esposo e filho, mas ficaram no carro esperando-a”, disse uma de suas irmãs ao jornal El Diario de Juárez. Na lista também está Jorge Calvillo García, de Torreón, Coahuila, como confirmou o prefeito da cidade. Na manhã de segunda-feira, o Governo mexicano anunciou que Juan de Dios Velázquez, de Zacatecas, morreu no hospital nas últimas horas.

A Fox News também confirmou a morte de David Johnson, de 63 anos. Faleceu, segundo sua família, protegendo sua esposa e sua neta de nove anos. Leo Campos e Maribel Hernandez também morreram. A família começou a suspeitar de que algo estranho havia acontecido quando a pessoa que estava tomando conta de seu cachorro ligou para dizer que não foram buscá-lo.

Feridos mexicanos confirmados pelo Governo

O chanceler mexicano Marcelo Ebrard identificou entre os feridos uma família de três membros, um casal e sua filha de 10 anos, de Chihuahua:

Mario de Alba Montes, de 45 anos, que recebeu um tiro nas costas, está em estado grave de acordo com a AP. Olivia Mariscal Rodriguez, da mesma idade, tem feridas no peito e em uma mão e sua filha de 10 anos Erika de Alba Mariscal tem ferimentos em uma perna. A família era originária e morava na capital de Chihuahua, foram a El Paso comprar material escolar.

Também estão entre os feridos, de acordo com as autoridades norte-americanas, Jessica Coca García e Memo García, que foram ao Wal-Mart arrecadar fundos para uma equipe esportiva juvenil. Segundo Norma Coca, a mãe de Jessica, os dois estavam em uma das saídas do local. A mulher, que vive no Kansas e deu declarações a uma televisão local, afirma que ambos estão hospitalizados, ele em estado crítico, informou a AP. Seus filhos, de cinco e 11 anos, ficaram ilesos.

O mais visto em ...Top 50