Seleccione Edição
Login

“Mostre o que as loucas podem fazer”: o anúncio da Nike sobre as mulheres no esporte

Tenista norte-americana Serena Williams narra como as esportistas são vistas em momentos de tensão

No US Open de setembro de 2018 Serena Williams brigou com o árbitro. "Você é um ladrão, um mentiroso! Você me deve um pedido de desculpas!", espicaçou a tenista depois de ser repreendida por receber instruções do banco na partida final. Após este episódio, ela foi multada em 17.000 dólares (64.000 reais) por três violações do código de conduta. Além disso, o caso motivou vários debates sobre como as pessoas veem homens e mulheres em momentos de intensa emoção em um evento esportivo.

Com essa premissa, a Nike lançou um novo anúncio em vídeo durante a apresentação do Oscar, que destaca o papel das mulheres em vários esportes. A própria Williams dá voz ao anúncio: "Se demonstramos emoções, somos chamadas de dramáticas. Se queremos jogar contra os homens, estamos loucas. Se sonhamos com oportunidades iguais, deliramos", diz ela no início. No Youtube, o anúncio acumula mais de 6,5 milhões de reproduções nos primeiros três dias após a publicação.

O vídeo mostra mulheres de diferentes modalidades em momentos de extrema tensão. Becky Hammon, ex-jogadora de basquete e a primeira treinadora de um time da NBA, e Kathrine Switzer, a primeira mulher a correr a Maratona de Boston, são dois dos exemplos históricos relatados pelo anúncio. Williams também faz menção a seu próprio caso. "Ganhar 23 Grand Slams, ter um filho e voltar para mais. Louca, louca, louca", narra.

A equipe de comunicação da Nike lançou este vídeo como parte de sua campanha Just Do It e indicou que se trata de uma "celebração das mulheres no esporte" antes da realização da Copa do Mundo de Futebol Feminino, na França, a partir de 7 de junho.

Esta campanha, que também tem uma série de fotografias nas redes sociais, mostra grandes figuras do esporte e também mulheres que iniciam a carreira. Um exemplo é Chantel Navarro, uma norte-americana de 15 anos que treina para se tornar boxeadora olímpica. "As pessoas dizem que mulheres não devem boxear, mas na realidade isso não significa nada mais do que ter de trabalhar o dobro", diz ela em um dos vídeos promocionais.

Mulheres atletas são alvo constante de comentários sexistas, como Verne mostrou durante os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016. "O esporte feminino não é esporte" ou "deveriam receber menos porque não desperta interesse" são algumas das frases mais ouvidas em vários esportes.

MAIS INFORMAÇÕES