“Miúcha era toda música, na intimidade ou no palco”, as homenagens à cantora

Heloisa Maria Buarque de Hollanda, uma das principais vozes femininas da Bossa Nova, morreu quinta-feira aos 81 anos no Rio

Miúcha e Bebel Gilberto.
Miúcha e Bebel Gilberto.Reprodução/Facebook

A cantora e compositora Heloisa Maria Buarque de Hollanda, popularmente conhecida como Miúcha e uma das principais vozes femininas da Bossa Nova, morreu na quinta-feira (27) aos 81 anos em um hospital do Rio de Janeiro, onde tratava um câncer de pulmão.

Miúcha, irmã de Chico Buarque e primeira esposa do cantor e compositor João Gilberto, um dos pais da Bossa Nova, morreu de parada cardíaca após o agravamento de problemas respiratórios no Hospital Samaritano, de acordo com o boletim divulgado pelo centro médico.

A artista irmã das cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque, e filha do historiador Sérgio Buarque de Holanda e de Maria Amélia Cesário Alvim, pintora e pianista , era mãe da cantora Bebel Gilberto, que a homenageou nas redes sociais: "Pra sempre no meu coração. Te amo muito. Descansa meu amor... saudades". 

A cantora lançou 14 álbuns em 40 anos de carreira e ficou internacionalmente conhecida, principalmente Itália, Estados Unidos e Japão. Seu trabalho mais recente, "Rosa amarela" (1999), foi lançado no Japão antes mesmo do Brasil.

Seus maiores sucessos remontam à década de 1970, quando se tornou famosa como intérprete de grandes clássicos da Bossa Nova e da MPB como Maninha (Chico Buarque compôs em sua honra), Pela luz dos olhos luz teus (Vinícius de Moraes), Vai Levando (Chico Buarque e Caetano Veloso), e Samba do avião e Falando de amor (Tom Jobim).

Miúcha, que estudou história da arte em Paris na década de 1960, conheceu em uma viagem de férias na Itália a cantora chilena Violeta Parra, que foi quem lhe apresentou o compositor João Gilberto, que já tinha uma reputação na Europa como um criador da Bossa Nova.

Miúcha e João Gilberto ficaram casados por oito anos e foram pais de Bebel Gilberto, que a sucedeu como uma das vozes e musas da Bossa Nova. Seu primeiro álbum foi "O Melhor dos Dois Mundos" (1975) em associação com João Gilberto e Stan Getz.

Esta produção a tornou parceira de famosos músicos brasileiros como Tom Jobim, Vinicius de Moraes e Toquinho. Em parceria com estes cantores, ela participou de uma performance na Itália cuja gravação é considerada um dos maiores clássicos da Bossa Nova.

Vários artistas lamentaram a morte da cantora. "Ao longo dos anos, Miúcha teve presença sempre luminosa em minha vida. Tanto como artista quanto como pessoa", escreveu Caetano Velloso no Facebook. "Sempre sorridente e gostando muito de viver, Miúcha era toda música, na intimidade ou no palco do #Canecão. Com Vinicius e Tom. E em todas as gravações solo que fez."

Conheci #Miúcha em Salvador. Ela estava grávida de Bebel Gilberto. Agradeço a #CarlosCoqueijo ter tido contato com essa pessoa especial em momento tão significativo: ele quis que a turma de música do Vila Velha conhecesse #JoãoGilberto, então casado com ela. Ao longo dos anos, Miúcha teve presença sempre luminosa em minha vida. Tanto como artista quanto como pessoa. Tornei-me camarada constante de Chico Buarque no período de idas e vindas Rio-São Paulo. Fui umas poucas vezes à casa dos Buarque de Hollanda. Conheci os outros irmãos de Chico, mas Miúcha, que eu já encontrara antes, vivia nos Estados Unidos, depois no México. Sua musicalidade e a força que esta teve na formação de Chico é fato que este atesta ao lembrar treinamentos recreativos de abertura de vozes harmônicas. E ela aparecia cantando lindamente com João no segundo álbum deste com #StanGetz. De volta ao Brasil, Miúcha nos aproximou de #JoãoDonato, com quem apareceu muitas vezes em meu apartamento na Delfim Moreira. Também foi com ela que #TomJobim foi umas vezes nos visitar. Sempre sorridente e gostando muito de viver, Miúcha era toda música, na intimidade ou no palco do #Canecão. Com Vinicius e Tom. E em todas as gravações solo que fez. Anos depois, aquela participação divina no show de #Bethânia! E agora, enquanto escrevo estas palavras diante da notícia de sua morte, Cézar Mendes me diz que "Aquele Frevo Axé", canção que amo apaixonadamente, parceria dele comigo, foi a última música que Miúcha gravou. Paro de escrever e vou pedir a Cezinha que ponha a gravação para eu ouvir (a faixa será lançada em breve). 🎥: de 1984 | Ouça “De Noite na Cama” na #PlaylistDoCaetano: http://spoti.fi/2rXsYb1 #CaetanoVeloso #UnsProduções

Gepostet von Caetano Veloso am Donnerstag, 27. Dezember 2018

Com muita saudade de você!!!!! @miuchab. #miucha #maefilha #momanddaughter daughter👩‍👧

Gepostet von Bebel Gilberto am Montag, 10. Dezember 2018