Fórmula 1

“Schumacher é um lutador que não se renderá”

Uma carta da mulher do piloto alemão se torna pública e revela a esperança da família sobre sua recuperação

Michael Schumacher e sua mulher Corinna, na Alemanha.
Michael Schumacher e sua mulher Corinna, na Alemanha.

MAIS INFORMAÇÕES

“Michael é um lutador e não se renderá.”

Há quatro anos, o compositor alemão Sascha Herchenbach quis prestar uma homenagem a Michael Schumacher, seu ídolo para sempre, e escreveu uma canção dedicada ao grande campeão de Fórmula 1 intitulada Nascido para Lutar. O gesto do músico, que enviou a canção para a família do campeão, nunca foi divulgado à opinião pública nem a reação de Corinna, a mulher de Schumacher, que sempre se recusou a comentar o estado de saúde do sete vezes campeão da Fórmula1.

Apesar de seu juramento de silêncio, Corinna enviou uma carta de agradecimento ao músico, cujo conteúdo foi revelado pela revista alemã Bunte. Ela revela que a família do campeão ainda acredita em uma recuperação completa do piloto.

Michael e Corinna Schumacher, em 2011.
Michael e Corinna Schumacher, em 2011.

Gostaria de agradecer-lhe sinceramente por sua mensagem e este belo presente, que nos ajudará a superar este momento difícil. É bom receber tantos votos amáveis e outras palavras bem-intencionadas, que representam um grande apoio para nossa família. Todos nós sabemos que Michael é um lutador e não vai desistir ", escreveu a mulher de Michael Schumacher.

Ainda não está claro quando foi escrita a carta de agradecimento e não se sabe se o gesto de Corinna –de falar sobre as esperanças da família– também se repetiu com outras pessoas. O músico agora falou de seu conteúdo à Bunte.

"Eu não esperava resposta, fiquei muito abalado. A carta foi escrita à mão e assinada por Corinna com um papel timbrado. Ela escreveu que estava muito agradecida pelo presente que havia ajudado a ela e sua família neste momento difícil”, disse o músico à revista.

A homenagem do músico e a resposta de Corinna foram divulgadas a poucas semanas do quinto aniversário do trágico acidente sofrido por Schumacher nos Alpes franceses, que quase lhe custou a vida. Desde então, o estado de saúde do campeão se tornou um hermético segredo e a única coisa que se sabe é que ele está sendo atendido em sua mansão no Lago de Genebra por uma equipe de 15 pessoas.

Em dezembro de 2015, a Bunte postou em sua capa que Schumacher já podia andar e estava se recuperando lentamente do grave acidente. A informação foi desmentida pela família e a revista foi forçada, dois anos depois, a pagar uma multa de 50.000 euros (220.000 reais). Depois disso nunca mais se ouviu falar sobre o estado de saúde de Schumacher. Mistério e silêncio absoluto cercam a figura do grande campeão, graças a uma rígida política de comunicação que Sabine Khem dirige com mão de ferro.

"O estado de saúde de Michael Schumacher é e continuará sendo um assunto estritamente privado", disse Kehm dois anos atrás. "Não haverá nenhum tipo de informação sobre esta situação privada no futuro. Estamos conscientes de que, para alguns, é difícil de entender, mas agimos em total concordância com a opinião de Michael e agradecemos sua compreensão", acrescentou a responsável pela comunicação.

Schumacher sofreu um grave acidente de esqui em 29 de dezembro de 2013 nos Alpes franceses e passou vários meses em coma induzido em um hospital em Grenoble. O ex-piloto acordou do coma em junho de 2014 e foi transferido para uma clínica de reabilitação em Lausanne (Suíça) e, mais tarde, para a residência da família em Gland, no cantão de Vauz, onde continua sob tratamento por uma equipe de especialistas e terapeutas, algo que custa em torno de135.000 euros (580.000 reais) por semana.