Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Kim Jong-un chega a Singapura para a reunião com Trump

Ministro das Relações Exteriores dá as boas-vindas ao líder norte-coreano dois dias antes da reunião

Kim Jong-un neste domingo
Kim Jong-un neste domingo Getty Images

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, já está em Singapura. O mandatário aterrissou pouco antes das 14h40 (3h40 de Brasília) no aeroporto internacional de Changi a bordo de um avião fretado pela Air China. Kim chegou a Singapura antes do presidente norte-americano, Donald Trump, cuja chegada no Air Force One é esperada por volta das 20h35 (9h35 de Brasília) na base militar de Paya Lebar. Os dois se reunirão na terça-feira no hotel Capella de Sentosa (ao sul de Singapura), no que será o primeiro encontro entre líderes dos EUA e da Coreia do Norte na história.

Kim acabou não viajando no Chammae-1, o Il-62 soviético que seria o avião presidencial e sim em um moderno 747-400 da empresa aérea chinesa, melhor preparada para voos longos e com um interior mais luxuoso do que a aeronave russa de fuselagem estreita. Uma chegada mais presidencial para Kim, que, segundo a agência sul-coreana Yonhap, viajou em “um avião utilizado pelo governo chinês para enviar funcionários de alto escalão, incluindo o presidente Xi Jinping”. Kim e sua comitiva foram recebidos na pista de Changi por uma delegação de Singapura liderada pelo ministro das Relações Exteriores, Vivian Balakrishnan.

O avião não foi a única contribuição da China à viagem, principal aliado da Coreia do Norte. O site sueco Flightradar 24 mostrou que a rota do voo do líder norte-coreano de Pyongyang a Singapura evitou ao máximo o litoral, por motivos de segurança. Pouco acostumado a esse tipo de viagem – desde que chegou ao poder em 2011 só viajou duas vezes à China – e especialmente preocupado por sua segurança, o avião sobrevoou até quatro províncias do país aliado: Hebei, Henan, Hubei e Hunan, para se manter o maior tempo possível em espaço aéreo amigo. O Flightradar também indicou que não existiram registros de aviões civis próximos ao 747-400 durante o voo, apesar de ser uma rota muito movimentada.

Apenas quinze minutos após a aterrissagem, um comboio formado por dezenas de veículos transportando o líder norte-coreano e sua comitiva se dirigiu ao hotel St. Regis, no distrito comercial de Orchard, onde ele se hospedará até depois da reunião. Durante todo o domingo a segurança e a expectativa nos arredores do hotel foram aumentando pela perspectiva de receber Kim pela primeira vez em Singapura, com ruas próximas engarrafadas e fechadas ao tráfego por sua chegada.

Kim se reunirá no domingo com o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien Loong, em Istana, a residência oficial. Não se sabe qual será a agenda do líder norte-coreano na segunda-feira em Singapura, na véspera de sua reunião com o presidente norte-americano sobre a desnuclearização.

Antes de Kim, um avião de carga russo vindo de Pyongyang aterrissou em Singapura transportando alimentos, armas autorizadas e veículos, entre eles a limusine Mercedes utilizada pelo dirigente. A estimativa é que 100 funcionários do regime norte-coreano, incluindo os guarda-costas de Kim, viajaram com ele a Singapura, de acordo com o jornal local Straits Times. Um terceiro avião, também de modelo soviético, saiu na manhã de domingo de Pyongyang em direção a Singapura.

Enquanto isso, Trump, que chega a Singapura direto da reunião do G7 em Québec (Canadá), se hospedará no hotel Shangri La, a apenas dez minutos a pé do hotel em que Kim se hospeda. O presidente dos Estados Unidos manterá seu encontro bilateral com Lee na segunda-feira, como confirmou o Governo de Singapura. O próprio Lee fez no domingo uma breve visita ao centro de imprensa para dar as boas-vindas aos aproximadamente 2.000 jornalistas credenciados à reunião.

Os dois líderes só se reunirão na terça feira às 9h (22h de segunda-feira de Brasília) no hotel Capella da ilha de Sentosa (ao sul de Singapura).

MAIS INFORMAÇÕES