Atirador mata três pessoas na Bélgica

Suspeito foi morto após o ataque em Liège e autoridades não descartam ação terrorista

Dois policiais e um transeunte mortos num tiroteio em Liège, na Bélgica
Dois policiais e um transeunte mortos num tiroteio em Liège, na BélgicaJOHN THYS (AFP)

MAIS INFORMAÇÕES

Dois policiais e um motorista foram assassinados nesta terça-feira, dia 29, no centro da localidade belga de Liège. A identidade do agressor não foi divulgada até o momento, mas promotores dedicados ao combate ao terrorismo assumiram a investigação. Os fatos, segundo o jornal Le Soir, ocorreram às 10h30 (5h30 em Brasília) no bulevar d’Avroy, quando os agentes abordaram um homem para que se identificasse num controle de rotina. Por motivos ainda desconhecidos, o indivíduo os confrontou, desarmou um dos policiais e começou a disparar, matando os dois agentes e um homem que passava de carro por ali. Além disso, feriu outros dois membros das forças de segurança. O agressor, segundo a polícia de Liège, então fugiu para um colégio próximo. Lá dentro tomou uma refém, mas membros das forças especiais da polícia local o abateram sem que a mulher se ferisse. Segundo o jornal local La Libre Belgique, o agressor gritou “Allahu Akbar” (“Deus é grande”, em árabe) antes de morrer.

A refém trabalha como faxineira no colégio, cujos alunos permaneceram confinados até que a polícia se certificasse de que não havia mais perigo. “Os alunos estão seguros, e nenhum foi ferido. O indivíduo foi neutralizado”, afirmou o governador da província da Liège, Hervé Jamar. O ministro do Interior, Jan Jambon, disse que a situação já foi controlada e que os serviços antiterroristas estão analisando se foi ou não um atentado. “Estamos tentando saber o que ocorreu exatamente”, acrescentou.

Frente ao alarme gerado pelo tiroteio, as forças de segurança estabeleceram um cordão de isolamento que interrompeu o trânsito nos arredores do bulevar d’Avroy, uma das principais artérias dessa cidade francófona situada na Valônia, a 50 quilômetros da fronteira alemã. As imagens publicadas por vários usuários nas redes sociais mostram pessoas tentando fugir e protegendo-se no bulevar, e agentes policiais com coletes à prova de balas tomando posições na área.

O último ataque importante registrado na cidade ocorreu em agosto de 2016, quando um homem feriu dois policiais com um facão enquanto gritava “Allahu Akbar”, antes de ser abatido por disparos de outros agentes. A agressão ocorreu em frente a uma delegacia de polícia, e a investigação determinou que se tratou de um ataque terrorista. Antes, em 2011, um recluso em liberdade condicional semeou o caos na cidade ao assassinar quatro pessoas e ferir mais de uma centena disparando rajadas de fuzil e lançando granadas

Arquivado Em: