Seleccione Edição
Login

As homenagens a Lady Di no casamento do príncipe Harry com Meghan Markle

As flores favoritas, a família Spencer entre os convidados e doações para suas ONGs serão alguns dos símbolos que farão com que Diana esteja presente no enlace real

Em novembro passado, durante a primeira entrevista conjunta do príncipe Harry e Meghan Markle como casal, ele contou que a aliança de noivado da sua prometida incluía dois diamantes da coleção pessoal de joias da sua mãe, Diana de Gales, “para assegurarmos que ela nos acompanha nesta louca viagem juntos”. E o casal está decidido a que a lembrança da falecida princesa se mantenha viva também durante suas bodas na Capela de São Jorge, em Windsor, neste sábado, dia 19 de maio.

O primeiro e mais claro gesto está na lista de convidados. Segundo um comunicado emitido pelo palácio de Kensington em 4 de maio, o príncipe Harry “deseja envolver a família de sua mãe em seu casamento”. Isso inclui a presença de suas duas irmãs, Lady Sarah McCorquodale e Lady Jane Fellowes – que é casada com um ex-secretário privado da rainha Elizabeth II, e que lerá durante a cerimônia –, com seus cônjuges e seus filhos, e também a do irmão da princesa, o conde Spencer, uma figura mais polêmica, cuja relação com a família real imaginava-se rarefeita depois do discurso amargo que pronunciou durante o funeral de Diana: “Prometo que nós, sua família de sangue, faremos todo o possível por continuar a maneira imaginativa e amorosa com que você guiou estes dois jovens excepcionais, para que suas almas não estejam imersas apenas no dever e na tradição”.

Spencer, que reside na mansão de Althorp, onde Diana está enterrada, irá com sua terceira mulher, Karen, e seus filhos mais velhos. “Harry se dá bem com suas tias e seu tio, e todos conheceram Meghan”, declarou uma fonte à edição norte-americana da revista Vanity Fair. “Todos os seus primos têm o ‘ticket dourado’ (qualificação que faz referência ao convite que também inclui a recepção posterior na Frogmore House, com um número bem menor de convidados).”

As flores que decorarão a igreja também estarão carregadas de simbolismo. A designer floral escolhida pelos noivos, Philippa Craddock, disse em nota que seu trabalho com o casal foi “muito colaborativo, fluido, criativo e divertido. O desenho final os representa como casal”. Além da flor preferida de Meghan, as peônias, os arranjos incorporarão rosas brancas – as favoritas de Diana – como homenagem. No ano passado, coincidindo com o 20º. aniversário da sua morte, já havia sido inaugurado no palácio de Kensington um jardim de rosas brancas em sua memória, chamado White Garden. Especula-se com que o buquê da noiva também poderia incluir um aceno a Diana.

Os príncipes de Gales, Diana e Charles da Inglaterra, com seus dois filhos, Harry e William, durante um ato público na década de 1990
Os príncipes de Gales, Diana e Charles da Inglaterra, com seus dois filhos, Harry e William, durante um ato público na década de 1990 GTRESONLINE

Assim como fizeram William e Kate, Harry e Meghan pediram aos convidados e ao público que, em vez de enviarem um presente de casamento, façam uma doação a uma das sete organizações beneficentes que escolheram pessoalmente por “refletirem seus valores comuns”. Ao menos duas delas são relacionadas a causas com as quais Diana mais se envolveu em vida. A primeira é a Crisis, organização britânica de apoio a pessoas sem-teto (Diana inclusive levou os filhos para visitarem albergues e conhecerem essa realidade). A segunda é a CHIVA (Associação do HIV Infantil, na sigla em inglês), voltada para crianças portadoras do vírus da AIDS no Reino Unido e Irlanda. A princesa fez da luta contra essa doença uma das suas principais bandeiras, e seu ativismo contribuiu em grande medida para acabar com o estigma que a cercava.

Além da aliança de noivado, vários meios de comunicação britânicos cogitaram a possibilidade de que a tiara que Meghan usará no casamento – é tradição que todas as noivas reais portem uma – seja a da família Spencer. Embora pareça bastante mais provável que se incline por uma dos Windsor, não seria de estranhar que seu “algo emprestado” fosse outra das joias da falecida princesa. Também poderia ser seu “algo novo”, pois é costume nas uniões reais que o noivo presenteie uma joia à noiva no dia do enlace, e a coleção de Diana está agora nas mãos de seus filhos.

A princesa Diana com William e Harry no aeroporto de Aberdeen, em agosto de 1989
A princesa Diana com William e Harry no aeroporto de Aberdeen, em agosto de 1989 GTRESONLINE

Há também quem interprete como um aceno a Diana (que era conhecida como “a princesa do povo”) o fato de Harry e Meghan ter convidado 2.640 pessoas (1.200 cidadãos, 200 representantes de entidades beneficentes, 100 alunos de escolas locais, 610 membros da comunidade do castelo de Windsor e 530 membros da Casa Real) para assistirem à cerimônia no terreno do Windsor Castle. Um desses convidados é uma estudante de 15 anos chamada Faith Dickinson, conhecida por seu trabalho à frente da ONG Cuddles for Cancer. No ano passado, ela recebeu das mãos de William e Harry o primeiro Prêmio Diana, criado para reconhecer jovens que estão ajudando a melhorar o mundo. E uma última curiosidade (embora isto, talvez, não seja premeditado): James Gaselee, o oficial do regimento de cavalaria que dirigirá a escolta dos recém-casados em seu primeiro passeio de carruagem, é irmão de uma das damas de honra de Diana.

O príncipe William também evocou a presença de sua mãe com detalhes sutis em seu casamento. Além do anel de noivado, que tinha pertencido a Diana, durante o serviço religioso cantou-se o hino Guide Me, O Thou Great Redeemer, que também havia soado no funeral da princesa, e entre seus convidados estavam o músico Elton John, íntimo amigo de Diana, que fez meio planeta chorar com sua interpretação de Candle in the Wind durante a cerimônia fúnebre. O cantor, imerso em sua turnê mundial de despedida, cancelou os shows deste fim de semana, o que leva a crer que também poderia ir a este novo casamento real.

MAIS INFORMAÇÕES