Seleccione Edição
Login

Carro sem motorista da Uber provoca primeiro acidente fatal

Uma mulher faleceu no Arizona depois de ser atropelada por um veículo autônomo da empresa

Uber
Frame da rede ABC-15 mostra investigadores no local do acidente. AP

Uma mulher de 49 anos morreu na cidade de Tempe, Arizona, Estados Unidos, ao ser atropelada por um veículo sem motorista operado pela Uber, segundo informou através de um comunicado a policia local. "O veículo se dirigia para o norte quando uma mulher que caminhava fora da faixa de pedestres cruzou a calçada e foi atropelada pelo veículo da Uber", assinalou a policial em um comunicado. É o primeiro atropelamento fatal protagonizado por um carro autônomo. 

Imagens divulgadas pela rede de televisão norte-americana ABC mostram uma bicicleta no chão junto ao carro autônomo, aparentemente, danificada pelo veículo. Segundo a ABC o carro atingiu uma ciclista e não uma pedestre. A vítima foi identificada como Elaine Herzberg. O comunicado policial fala, no entanto, que a mulher estava caminhando ao ser atingida.

A Uber anunciou que suspendeu os testes que vinha realizando com carros sem motorista em Tempe, Pittsburg, Toronto e San Francisco. A companhia, que expressou suas condolências à família da vítima através do Twitter, assegura que está cooperando com as autoridades na investigação.

O veículo da Uber que protagonizou o acidente estava no modo autônomo, sem motorista, embora tivesse uma pessoa em seu interior. As primeiras informações difundidas pela policia assinalam que o acidente ocorreu na noite passada, sem precisar a hora.

Durante os últimos meses da administração Obama, o governo federal aprovou um marco legal para tornar este tipo de veículos uma realidade. O desafio não é apenas tecnológico, mas também social. Os seres humanos cometem erros, mudam de opinião, podem desistir enquanto atravessam um cruzamento. As máquinas estão limitadas a seguir regras. Eles mal podem entender o que significa uma exceção. A mistura de inteligência humana e artificial em movimento é a principal fricção. Segundo os pesquisadores neste campo, até 2020 haverá avanços que o tornarão praticamente possível.

Antes da Uber, o Google começou a colocar esses veículos autônomos em torno da sede da Mountain View e da Estrada 101, que liga o Vale do Silício a San Francisco. A partir dessa experiência com um carro de dois lugares sem volante e com forma de ovo, o carro apelidado de Koala nasceu da Waymo, sua divisão para explorar esta forma de transporte. Esta corrida pela inovação entre Google e Uber resultou em roubo de funcionários, patentes e um longo julgamento que custou 245 milhões de dólares em compensação à empresa de internet.

A Ford, um símbolo da cultura americana e criadora da linha de montagem, também mostrou interesse em se juntar a esse tipo de tecnologia. Do Japão, a Toyota tem uma equipe local e um laboratório no Vale do Silício.

Em julho de 2016 aconteceu a primeira morte conhecida de um passageiro em um carro que viajava em piloto automático. O motorista de um Model S, da Tesla, se chocou contra um caminhão em Flórida enquanto via um filme.

MAIS INFORMAÇÕES