Seleccione Edição
Login

Encontrada na Austrália uma mensagem engarrafada de 1886, a mais antiga que se conhece

Bilhete achado por uma família foi atirado em uma garrafa de gim por tripulante de um navio alemão

Uma mensagem dentro de uma garrafa numa praia, em uma imagem de arquivo
Uma mensagem dentro de uma garrafa numa praia, em uma imagem de arquivo

Uma família australiana encontrou numa praia do sudoeste da Austrália uma mensagem dentro de uma garrafa de gim que foi jogada ao mar em 12 de junho de 1886 por um tripulante do navio alemão Paula, noticiou a imprensa local nesta terça-feira. O bilhete engarrafado é o mais antigo que se conhece no mundo todo, superando um que data de 108 anos atrás, segundo a emissora australiana ABC.

A descoberta ocorreu quando Tony Illman caminhava com sua família, em uma data não precisada, pelas dunas da ilha de Wedge, 180 quilômetros ao norte de Perth, e avistou “uma garrafa velha bonita”, segundo seu relato. O recipiente continha em seu interior um papel enrolado e amarrado com uma fita. Na folha havia uma mensagem em que o capitão do barco registrava a data, as coordenadas do navio naquele momento e os detalhes da sua rota. Além disso, no verso da nota se solicitava que ela fosse devolvida ao Observatório Naval Alemão ou ao consulado alemão mais próximo.

“Levamos o bilhete para casa e quando o abrimos tinha algo escrito à mão em alemão”, relatou Tony Illman à ABC. A mensagem está datada de 12 de junho de 1886 e indica que foi lançada pela amurada do Paula quando a embarcação navegava a 950 quilômetros da costa sudoeste da Austrália.

Os Illman então contataram o Museu da Austrália Ocidental, e o arqueólogo marítimo Ross Anderson averiguou que se tratava de uma garrafa de genebra (gim holandês) do século XIX. Em seguida, Anderson entrou em contato com colegas alemães e holandeses, que compararam o manuscrito com o registro do livro de navegação do Paula. “Incrivelmente, havia uma anotação de 12 de junho de 1886 em que o capitão registrava que atirou uma garrafa pela amurada”, contou o arqueólogo, que também informou que “a data e as coordenadas correspondiam exatamente à informação na mensagem”.

Entre 1864 e 1933, o Observatório Naval Alemão, a fim de estudar as correntes oceânicas, fez experiências que consistiram em atirar milhares de garrafas de genebra ao mar a partir de navios alemães.

MAIS INFORMAÇÕES