Evan Rachel Wood vai ao Congresso dos EUA defender lei contra agressão sexual

“O homem que dizia que me amava me estuprou acreditando que eu estava inconsciente”. Atriz conhecida por seu papel em ‘Westworld’ narrou sua experiência aos parlamentares

Evan Rachel Wood durante seu depoimento.
Evan Rachel Wood durante seu depoimento.Getty

“Começaram pouco a pouco, mas [os abusos] se intensificaram com o tempo, incluindo ameaças contra a minha vida e ataques psicológicos. O homem que dizia que me amava me estuprou acreditando que eu estava inconsciente.” Esta é só uma parte do dilacerador depoimento que a atriz Evan Rachel Wood, conhecida por seu papel em Westworld, prestou ao Congresso dos Estados Unidos. A atriz se apresentou junto com outras mulheres que sofreram abusos sexuais para pedir uma mudança na legislação norte-americana, com a aprovação de uma nova lei federal que proteja as mulheres em todo o país, chamada Lei de Declaração de Direitos de Sobreviventes de Agressões Sexuais.

Mais informações

Em termos horripilantes, Wood contou como seu ex-namorado a maltratou física e psicologicamente, a torturou e a violentou. “Ele me amarrava as mãos e os pés para que eu fosse torturada mental e fisicamente, até que meu abusador sentisse que meu amor por ele havia ficado provado”, detalhou a atriz perante o Capitólio de Washington. E prosseguiu explicando como esses macabros rituais acabaram afetando-a psicologicamente. “Enquanto eu estava amarrada e era surrada, realmente achei que poderia morrer. Não só porque ele me dizia ‘Eu poderia te matar agora mesmo’, mas também porque naquele momento senti que tinha abandonado meu corpo e tinha muito medo de fugir.”

A atriz também contou que foi violada por outro homem algum tempo depois. “Devido àquele abuso, quando outro agressor me jogou no chão, no depósito fechado de um bar, meu corpo instintivamente soube o que fazer: desaparecer, adormecer, deixar-se ir embora”, disse Wood. “Ter sido vítima de abusos e estupros previamente tornou mais fácil que voltassem a me estuprar, e não ao contrário.”

Todos esses abusos deixaram sequelas psíquicas. “Sete anos depois dos estupros — no plural —, diagnosticaram-me um transtorno pós-traumático que se arrastava havia muito tempo. Eu achava que estava ficando louca. Eu me autolesionava, tive duas tentativas de suicídio, até que me internei em uma clínica psiquiátrica”, relatou. Também falou da culpa que as vítimas sentem e como ela mesma chegou a pensar “que merecia isso”.

Evan Rachel Wood se tornou nos últimos tempos uma das atrizes mais ativas na luta pelos direitos da mulher. Por causa do interesse despertado por seu papel na distopia baseada no filme Westworld, a atriz de 30 anos aproveitou sua vitrine midiática para conscientizar outras mulheres sobre a luta contra as agressões sexuais. Ela já tinha contado à revista Rolling Stone que, assim como a sua personagem, Dolores, ela também havia sido estuprada. “Sim. fui violentada. Por uma pessoa querida, enquanto estávamos juntos. E em outra ocasião pelo dono de um bar. Na primeira vez não tinha certeza se aquilo que o meu namorado fazia era considerado um estupro, até que era tarde demais. Além disso, quem acreditaria em mim? Na segunda vez achei que tinha sido minha culpa e que precisava ter lutado mais, mas estava assustada.”

Agora, ela quer que sua história contribua para a adoção de medidas reais contra os abusos e pela assistência às vítimas. “Quero que o Congresso entenda que a agressão sexual e o estupro têm efeitos duradouros sobre a saúde”, disse à CNN.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50