Seleccione Edição
Login

Avião de passageiros cai no Irã com 66 pessoas a bordo

Empresa não confirma a morte de todas as pessoas que estavam a bordo pela dificuldade de se chegar à área montanhosa onde caiu a aeronave

Foto de arquivo de um avião da companhia iraniana Aseman Airlines.
Foto de arquivo de um avião da companhia iraniana Aseman Airlines. Wikipedia

Um avião de passageiros com 66 pessoas a bordo caiu no domingo no oeste do Irã. Um porta-voz da empresa que operava o voo, a Aseman Airlines, informou à televisão pública iraniana que todas as pessoas que estavam a bordo morreram. Horas depois, a empresa se retratou e afirmou que, dadas as “circunstâncias especiais da região” montanhosa em que ocorreu a queda, ainda não havia sido possível chegar ao local do acidente, de modo que não podia confirmar a morte de todos os ocupantes da aeronave. O avião, que realizava um trajeto interno, transportava 60 passageiros e seis tripulantes. O avião desapareceu dos radares 20 minutos após decolar do aeroporto de Mehrabad, em Teerã, como explicou o porta-voz de Emergências, Moytaba Khaled.

“Pelas circunstâncias especiais da região, ainda não conseguimos chegar ao local [do acidente], de modo que não podemos confirmar de maneira precisa e definitiva a morte de todos os ocupantes do avião”, declarou Mohammad Tabatai, diretor de relações públicas da empresa, à agência de notícias ISN. Horas antes, afirmou à rede de televisão estatal IRIB que, após uma busca na região do acidente, foi informado de que “todas as pessoas que estavam a bordo do avião” morreram.

Entre os passageiros do avião havia uma criança, como informou a empresa aérea, que disse que a tripulação era formada por dois pilotos, dois auxiliares de voo e dois membros do pessoal de segurança.

O avião, um modelo ATR 72 com 20 anos de idade, voava entre a capital iraniana e a cidade de Yasuj, que está no sudoeste do país. Decolou às 8h, horário local (1h da manhã de Brasília) e bateu em uma montanha chamada Dena, da cordilheira Zagros, próxima à localidade de Samirom, na província de Isfahan e a 480 quilômetros ao sul da capital. Por se tratar de uma região montanhosa, as autoridades enviaram helicópteros de regate, uma vez que o acesso das ambulâncias é difícil.

É possível que o acidente tenha sido causado pelo tempo, mais concretamente pela neblina e o vento registrados nessa região. O governador de Samirom explicou no domingo que os helicópteros de resgate encontravam dificuldades em aterrissar no local do paciente pela intensa neblina e que os serviços de emergência tentavam chegar na área por terra.

O aeroporto de Mehrabad se localiza no oeste de Teerã e opera principalmente com voos nacionais, mas às vezes também recebe rotas internacionais.

O Irã possui uma frota aérea obsoleta pelos anos de sanções internacionais, e na última década ocorreram vários acidentes graves. No último, em agosto de 2014 em Teerã, 40 pessoas morreram. Três anos antes, outro avião comercial caiu durante uma tempestade de neve no norte do país, o que provocou a morte de 77 pessoas.

MAIS INFORMAÇÕES