Acidentes aéreos

Avião russo cai perto de Moscou e deixa 71 mortos

A aeronave, modelo Antonov AN-148 da companhia aérea Saratov, fazia a rota doméstica Moscou-Orsk

Equipe de emergência nos arredores do aeroporto de Domodédovo, em uma imagem de arquivo.
Equipe de emergência nos arredores do aeroporto de Domodédovo, em uma imagem de arquivo.

Um avião russo modelo Antonov AN-148 da linha aérea Saratov caiu neste domingo com 71 pessoas a bordo, sendo 65 passageiros e seis tripulantes, enquanto fazia a rota Moscou-Orsk, na região de Oremburgo, fronteira da Rússia com o Cazaquistão. Todas as pessoas morreram, segundo informações da promotoria de Transportes. "Eles não tiveram chance de saírem vivos", disse o funcionário à agência de notícias Interfax. Pouco depois do acidente, vários habitantes da região contaram que viram o AN-148 cair cercado por chamas.

Especialistas acreditam que o acidente pode ter sido causado por condições meteorológicas e alguma falha técnica, sem excluir erro humano. No entanto, de acordo com algumas fontes, o equipamento, que foi fabricado há oito anos, teria caído quando se chocou com um helicóptero dos Correios da Rússia.

A aeronave desapareceu dos radares, onde permaneceu apenas dois minutos e onze segundos, pouco depois das nove da manhã (hora local de Brasília) e caiu na área de Argunóvo, distrito de Rámenski, nas proximidades da capital russa. O AN-148 se dirigia para a cidade de Orsk, na província de Orenburg. A grande maioria dos passageiros era da região, particularmente da parte leste, disse Sergei Shermeschinski, porta-voz do governador de Orenburg.

O ministro russo dos Transportes, Maxim Sokolov, dirigiu-se imediatamente ao local onde o avião caiu e onde os primeiros restos das vítimas já foram encontrados. Fontes dos serviços de emergência indicaram que os escombros podem ser vistos pelo ar, e que as equipes de resgate tiveram que ir para o local do acidente a pé, pois não era possível chegar pela estrada.

A promotoria abriu um inquérito para apurar o acidente do AN-148, e vai investigar a operação da companhia aérea Saratov. O presidente Vladimir Putin, além de enviar suas condolências às famílias das vítimas, pediu a criação de uma comissão especial para estudar o que aconteceu, de acordo com seu porta-voz, Dmitri Peskov.

Arquivado Em: