Seleccione Edição
Login

Atriz pornô cobrou 130.000 dólares para se calar sobre sua relação com Donald Trump

‘The Wall Street Journal’ afirma que o acordo para garantir o silêncio de Stormy Daniels foi feito pelo advogado do presidente um mês antes das eleições de 2016

Uma atriz pornô recebeu 130.000 dólares (417.000 reais) pouco antes das eleições de 2016 como parte de um acordo com os advogados de Donald Trump para manter silêncio sobre seus encontros sexuais com o então candidato à presidência dos EUA. Foi o que afirmou nesta sexta-feira o The Wall Street Journal, citando fontes anônimas com conhecimento do acordo. O pacto, segundo o jornal, foi assinado pelo advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, e obriga a atriz a não comentar em público sua relação com Trump.

Donald Trump e Stormy Daniels juntos em 2006, em uma imagem obtida pelo ‘The Wall Street Journal’ da conta do MySpace da atriz.
Donald Trump e Stormy Daniels juntos em 2006, em uma imagem obtida pelo ‘The Wall Street Journal’ da conta do MySpace da atriz.

Michael Cohen foi durante uma década o advogado principal do conglomerado empresarial Trump. O pacto foi acertado entre Cohen e o advogado da atriz em outubro de 2016, um mês antes que Trump ganhasse as eleições presidenciais. Naquele mesmo mês, Trump foi duramente criticado por causa de comentários sexistas que fez sobre as mulheres, gravados em um programa de televisão.

A atriz é Stephanie Clifford, cujo nome artístico é Stormy Daniels. Segundo as fontes do jornal nova-iorquino, Clifford comentou em particular que os fatos se referem a um encontro sexual com Trump depois que os dois se conheceram em um torneio de golfe de famosos no Lago Tahoe em 2006. Trump tinha se casado com a atual primeira-dama dos EUA, Melania Trump, um ano antes.

Em um comunicado citado pelo jornal, Cohen não nega o pagamento dessa quantia. “O presidente Trump nega novamente, com veemência, que isso tenha ocorrido, assim como a senhorita Daniels”, diz o comunicado. “Esta é a segunda vez em que fazem acusações extravagantes contra meu cliente. Vocês vêm tentando perpetuar essa falsa narrativa há um ano; uma narrativa que tem sido negada constantemente desde pelo menos 2011 por todas as partes envolvidas.”

O The Wall Street Journal esclareceu que não há provas de que Trump tivesse conhecimento de qualquer acordo com Stephanie Clifford. “Essas são histórias falsas e velhas que já foram publicadas e desmentidas antes das eleições”, disse um porta-voz da Casa Branca, citado pelo jornal. O porta-voz se negou a responder a perguntas sobre o suposto acordo.

A atriz não respondeu aos pedidos de comentários por parte do jornal. Foi Cohen que distribuiu uma carta datilografada, assinada “Stormy Daniels”, na qual supostamente a atriz nega completamente que tenha existido qualquer relação sexual com Trump e que tenha recebido dinheiro.

O advogado da atriz que supostamente participou do acordo, Keith Davidson, também não fez comentários, amparando-se no segredo profissional. O pagamento, segundo a informação do jornal, foi feito por meio de um depósito em uma conta do City National Bank em Los Angeles. O banco também não quis comentar a informação.

Com o nome de Stormy Daniels, Clifford, de 38 anos, teve uma bem-sucedida carreira no cinema pornográfico. Quando conheceu Trump no torneio de golfe no Lago Tahoe, tinha 26 anos e estava no auge de sua carreira.

Esta é a segunda vez em que o The Wall Street Journal se refere ao assunto. O jornal já informou, quatro dias antes das eleições de novembro de 2016, que Clifford tinha um acordo para aparecer no programa da rede ABC Good Morning America para contar sua relação com Trump. Clifford cancelou a entrevista repentinamente. Naquela mesma notícia, o jornal revelava que a empresa que edita o tabloide National Enquirer, cujo editor é amigo pessoal de Trump e um de seus máximos defensores, pagou 150.000 dólares (481.000 reais) a uma ex-modelo da Playboy para que ficasse em silêncio sobre seus encontros sexuais com Trump, que remontavam à mesma época do caso de Clifford.

MAIS INFORMAÇÕES