Devastação

Tempestade tropical causa mais de 180 mortes nas Filipinas

Chuvas causaram inundações e deslizamentos de terra que devastaram a ilha de Mindanao

Resgate dos moradores de Davao, na ilha filipina de Mindanao.
Resgate dos moradores de Davao, na ilha filipina de Mindanao.MANMAN DEJETO (AFP)

A tempestade tropical Tembin, que atingiu a costa das Filipinas na sexta-feira deixou mais de 180 mortos e dezenas de desaparecidos no sul do arquipélago asiático. As fortes chuvas que caíram na ilha meridional de Mindanao, mais abundantes do que o esperado, provocaram graves inundações e deslizamentos de terra que sepultaram cidades inteiras.

Mais informações

A Agência Nacional para a Prevenção de Desastres do país havia ordenado a evacuação das zonas costeiras e áreas próximas às margens dos rios, mas muitos moradores optaram por ficar em suas casas. As chuvas, que atingiram com força as províncias de Lanao del Norte e Lanao del Sur com registros de até 500 milímetros, causaram transbordamentos das represas que inundaram várias aldeias e contribuíram para deslizamentos de terra. O Governo filipino declarou “estado de calamidade” nessas duas regiões.

“O rio começou a subir rapidamente e a maioria das casas foram arrasadas. A cidade não existe mais”, disse Gerry Parami à France Press, policial da cidade de Tubod, referindo-se a uma vila próxima em uma área montanhosa. A tempestade causou cortes de eletricidade e as comunicações estão instáveis, o que torna difícil prever o número total de vítimas, disseram as autoridades.

Apesar de que nas Filipinas as tempestades tropicais e os tufões são comuns – a Tembin é a vigésima segunda deste ano –, é raro que afetem a ilha de Mindanao, no sul do país. Este fator, de acordo com as autoridades, teria levado muitos moradores a subestimar o poder da tempestade. “A população foi bastante alertada”, defendia-se no sábado, a porta-voz da Agência de Prevenção de Desastres, Romina Marasigan. Após a ordem de evacuação forçada, cerca de 120.000 pessoas tiveram que abandonar suas casas, enquanto as equipes de resgate tentam chegar às áreas mais afetadas para avaliar os danos.

A Tembin, com ventos de até 105 quilômetros por hora e rajadas atingindo os 145 km/h, tocou a terra na noite de sábado na ilha de Palawan, onde os moradores também foram avisados da possibilidade de que as fortes chuvas poderiam provocar inundações. As previsões da agência meteorológica local estimam que a tempestade vai afetar o país durante todo o fim de semana e se afastará de seu território na segunda-feira. Em seguida, vai viajar, embora com menos força do que a atual, pelo Mar do Sul da China até o Vietnã, onde é esperado que chegue no dia de Natal.

A Tembin atingiu o sul das Filipinas apenas uma semana depois que outra forte tempestade tropical, a Kai-Tak, provocou pelo menos 54 mortes no centro do país. Em 2013, o super tufão Haiyan, o mais mortífero da história recente do país asiático, causou mais de 7.000 mortes e deixou dezenas de milhares de famílias desabrigadas após arrasar a cidade de Tacloban e outras áreas densamente povoadas do arquipélago.