Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Homens nus, mulheres vestidas: campanha publicitária inverte papéis

Marca holandesa aposta em colocar os homens como objeto decorativo

Suitsupply
Uma das imagens utilizadas pela marca holandesa Suitsupply para sua nova coleção.

Estamos acostumados a ver campanhas publicitárias que questionam os padrões de beleza estabelecidos e reivindicam um lugar para os corpos reais, especialmente os femininos. “Assim seriam as campanhas de perfumes com mulheres de medidas normais”, dizem as manchetes. Desta vez, a marca Suistudio, pertencente ao Suitsupply, fez uma campanha diferente. A Suitsupply, fundada em Amsterdã no ano 2000 e presente hoje em 15 países, inverteu tudo para colocar os homens em um papel historicamente relegado às mulheres: o de objeto decorativo.

A nova campanha da marca mostra mulheres em roupas da nova temporada posando de forma algo antinatural junto a homens nus cujo rosto nunca aparece. Por serem objetos, não têm rosto, nem nome, nem história. Como muitas mulheres na história desse tipo de anúncio.

Assim, a campanha usa imagens como esta:

Homens nus, mulheres vestidas: campanha publicitária inverte papéis
Instagram Suistudio

Ou esta:

Homens nus, mulheres vestidas: campanha publicitária inverte papéis
Instagram Suistudio

Ou esta:

Homens nus, mulheres vestidas: campanha publicitária inverte papéis
Instagram Suistudio

Ou esta aqui:

Homens nus, mulheres vestidas: campanha publicitária inverte papéis
Instagram Suistudio

O gesto parece ser uma resposta da marca às críticas que recebeu no passado por suas imagens de alto apelo sexual e, às vezes, acusadas de machismo. Como esta, que mostra o boneco de um homem pendurado na tanga de uma modelo aparentemente tentando tirar a peça de roupa dela. A marca esclareceu que o boneco era representado como propriedade da mulher, sem nenhum tipo de poder sobre ela.

Desde que a campanha foi divulgada na conta oficial da marca no Instagram, os comentários vêm mostrando todo tipo de reação: do “absolutamente brilhante!” até os que ainda não estão a par do que se trata: “Se isso fosse o inverso, com a mulher no sofá e o homem em cima dela, os grupos feministas iriam criticar. Essa dupla moral tem de acabar!”. Em resposta, uma mulher chamada Emilia comenta: “Você está se referindo, por exemplo, a todas as demais campanhas que existem? Eles obviamente estão fazendo isso para virar o jogo”.

Exatamente.

MAIS INFORMAÇÕES