Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Polícia venezuelana investiga o roubo de animais de um zoo para serem comidos

Uma dezena de espécies foi subtraída nas últimas semanas

Crise na Venezuela
Antas no zoo de Zulia. Twitter

A escassez de alimentos na Venezuela tem levado a população a atos extremos, como fazer saques ou pegar comida de latas de lixo, mas desta vez a polícia teme que tenha sido dado um passo a mais. As autoridades abriram uma investigação sobre o roubo de vários animais de um zoológico, diante dos indícios de que foram subtraídos para serem comidos. Dez exemplares desapareceram nas últimas semanas, segundo o próprio parque.

Dois catitus, um tipo de porco do mato, parecido com o javali, foram furtados no fim de semana do parque de animais de Maracaibo, no Estado de Zulia, fronteiriço com a Colômbia. “Tudo indica que os roubaram para os comer”, declarou um porta-voz da Polícia Nacional venezuelana.

Não foram os únicos. Também desapareceram duas antas, que são animais em perigo de extinção, e um búfalo foi cortado em pedaços. O zoo reconheceu que os roubos alcançaram dez espécies. Em sua conta do Twitter, o parque informou nesta quarta-feira que haverá vigilância policial dia e noite.

O diretor do parque, Leonardo Núñez, afirmou, porém, que os culpados pelo ataque ao búfalo e aos demais animais são viciados em drogas que só querem os animais para vendê-los. “Aqui levam de tudo. Os animais que foram roubados não são para serem comidos”, disse Núñez.

Esta não é a primeira vez que a escassez na Venezuela afeta os animais do zoo. Há um ano irrompeu um escândalo por causa das imagens de espécies que estavam nos ossos em vários parques. Cerca de meia centena morreu por inanição em várias unidades de Caracas durante a primeira metade de 2016.

MAIS INFORMAÇÕES