Christl Mahfouz, a mulher que se tornou milionária com os bonés vermelhos de Trump

Neste verão nos EUA sua empresa venderá o boné número um milhão com o lema do republicano: “Faça a América grande outra vez”

Uma seguidora de Trump mostra um dos icônicos bonés.
Uma seguidora de Trump mostra um dos icônicos bonés.Christopher Dolan / AP

Há dois anos Christl Mahfouz, uma devota mulher católica da Louisiana, se pôs a rezar. Sua empresa de uniformes para trabalhadores do setor do petróleo se aproximava da falência. A resposta a suas preces foi Donald Trump. Neste verão nos EUA, Mahfouz venderá o boné vermelho número um milhão com o conhecido lema de campanha do republicano, Make America Great Again, e terá faturado mais de 21 milhões de dólares (cerca de 48,5 milhões de reais)

Mais informações

Começou em julho de 2015. Mahfouz via a apresentação da campanha de Trump quando lhe ocorreu a ideia que hoje a tornou milionária. A mulher de 39 anos pensou que poderia usar as instalações de sua pequena empresa, a Ace Specialties, para confeccionar bonés e camisetas com a propaganda do candidato, uma necessidade comum nas batalhas de aspirantes políticos nos Estados Unidos. Preocupada com sua situação financeira, Mahfouz telefonou para a secretária de Eric Trump, que conhecia por ter participado do conselho de sua ONG. Semanas depois estava na Torre Trump de Nova York apresentando sua proposta. O próprio Trump passou pela reunião e saiu satisfeito.

Mahfouz, de 39 anos, se comprometeu a pôr a produção em andamento na semana seguinte. Isso pareceu bom para o então candidato. Também gostou que o merchandising fosse fabricado nos EUA –fazendo eco de suas políticas de “América primeiro”. Além de bonés e camisetas, os produtos incluiriam cartazes, broches e outros objetos de campanha, incluindo enfeites de Natal.

O boné vermelho, visível nas cabeças de milhares de pessoas nos comícios de Trump, é o artigo principal. Ao custo de 25 dólares (58 reais), é ainda o mais vendido. Durante a campanha eleitoral, Mahfouz e seus empregados seguiram Trump para vender os produtos nos estacionamentos, estádios e hangares onde o republicano fazia seus discursos. A empresa aumentou seu quadro de funcionários de 10 para 40 pessoas.

Apesar de Trump já ser presidente, a intenção da Ace é continuar vendendo seus produtos através da loja online do comitê de campanha do republicano e nos eventos que ele realiza rotineiramente com suas bases.

Mais informações

O mais visto em ...

Top 50