Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

O paraíso da comida de rua londrina

Propostas gastronômicas sob o olhar do edifício Shard em animadas áreas ao sul do rio Tâmisa

Uma das bancas do Maltby Street Market, sob os arcos do beco de Ropewalk, no distrito londrino de Bermondsey. Ampliar foto
Uma das bancas do Maltby Street Market, sob os arcos do beco de Ropewalk, no distrito londrino de Bermondsey.

A fila aumenta em questão de segundos às portas da Monmouth Coffee Company. É preciso esperar pelo que é bom, e o espresso dessa empresa de café é o estímulo perfeito para iniciar a visita ao mercado de Borough. Os donuts recém-feitos da padaria Breah Ahead saem em direção ao seu lugar, onde o bolo recheado de caramelo salgado com mel não para de ser vendido. Ainda não são dez e meia da manhã e já saem sanduíches de carne de porco em pedaços.

Aberto de segunda a sábado – apesar do trágico atentado ocorrido nessa área de Londres há poucas semanas –, nesse mercado é preciso se deixar levar pelos sabores e os aromas, esquecendo-se por completo das horas convencionais do almoço e da refeição. Pães, verduras, frutas, peixes, carne, chá, café, especiarias e produtos delicatessen são oferecidos em banquinhas que convidam a se esquecer do supermercado e das embalagens. Aqui os tomates têm gosto de tomate e as bancas tradicionais se combinam com as tendências culinárias do momento.

Do lado da catedral de Southwark, o mercado de Borough está há mais de um milênio localizado aos pés da London Bridge. William Shakespeare, especula-se, era um frequentador assíduo, e esta agora é uma parada obrigatória para os foodies que visitam a margem sul do Tâmisa. Esses sibaritas gastronômicos estão com sorte hoje, porque nas áreas próximas, situadas dentro do código postal SE1, existem mais propostas gastronômicas para satisfazer o paladar.

Uma das bancas do mercado de Flat Iron Square, em Londres. ampliar foto
Uma das bancas do mercado de Flat Iron Square, em Londres.

Flat Iron Square

A poucos minutos a pé do mercado de Borough, indo pela Southwark Street, e ao lado da antiga fábrica de chocolate Menier se abre um descampado que dá as boas-vindas a Flat Iron Square. Sete arcos ferroviários sob a linha de trem que liga a estação de London Bridge com Waterloo East possuem desde o final do ano passado essa nova alternativa de ócio aberta todos os dias da semana.

O bar, no arco 34, é o ponto de encontro para se tomar uma cerveja antes de comer alguma coisa. A decisão pode ser complexa pela diversidade de propostas entre as diversas bancas, foodtrucks (veículos que vendem comida) e seus três restaurantes. Pizzas ao forno, comida portuguesa e cantonesa, tapas, dumplings turcos, pancakes e saladas inovadoras são algumas das opções dentre as quais chama a atenção o macarrão lámen samurai ibérico.

A música é essencial nesse complexo graças a Omera. Essa casa de shows dirigida por Ben Lovatt, membro da banda Mumford & Sons, é uma das atrações dessa inciativa e seu bar é um álibi para terminar a noite com um drinque. Ou dois. Aos domingos, o descampado, que funciona como estacionamento, se transforma em um mercado de roupas, móveis, livros e vinis, cerâmicas e muito mais.

A Flat Iron Square é parte de um projeto que tenta recuperar o conjunto de arcos ferroviários da época vitoriana em Bankside. O trabalho é feito para se aproveitar esses locais abandonados e colocá-los à disposição da comunidade, da mesma forma que a Union Yard Arches, onde foi instalado o Teatro Cervantes de Londres.

Uma das bancas do Maltby Street Market. ampliar foto
Uma das bancas do Maltby Street Market.

Maltby

O mercado de comida de rua de Maltby nasceu com essa mesma filosofia. A fumaça do churrasco impregna o ambiente em um pequeno espaço no qual cabem diferentes mundos culinários: empanadas argentinas, as tradicionais tortas, as salsichas alemãs, guiozas, falafels... Comida para levar e engolir rápido caso não se encontre um lugar para sentar. Se conseguir, o melhor é observar as pessoas passando e acompanhar a refeição com uma cerveja artesanal e um coquetel enquanto a conversa fica difícil em alguns momentos pela passagem do trem.

Em funcionamento desde 2010 e a poucos minutos da Torre de Londres, o Maltby Street Market se transformou em um evento gastronômico aos finais de semana. Delimitado por novos edifícios de apartamentos e a linha ferroviária entre a London Bridge e New Cross, o beco de Ropewalk e seus arcos abrigam vários comerciantes no distrito de Bermondsey. Alguns já fizeram dos antigos armazéns sua casa como é o caso da destilaria Jensen e a adega espanhola Tozino. Mas a maioria é de negócios temporários (as chamadas startups) que se alternam para mostrarem seus produtos de modo que os visitantes sempre se deparam com novas surpresas.

Mercato Metropolitano, no SE1 londrino. ampliar foto
Mercato Metropolitano, no SE1 londrino.

Mercato Metropolitano

Um pouco mais ao sul do Tâmisa, ao lado da área de Elephant and Castle, o Mercato Metropolitano logo comemorará seu primeiro aniversário. O recinto, localizado no local de uma antiga fábrica de papel, é um arrazoado à cozinha baseada em produtos naturais. A matéria-prima é essencial em um mercado que defende a comida artesanal e onde o protagonismo fica com os pequenos comerciantes. É uma boa opção para se provar os diferentes sabores italianos: focaccias, pizzas, canoli, sorvetes, tiramisú, prosecco... sem se esquecer da comida internacional em bancas que oferecem arepas, ostras, charcutaria francesa, queijos, churrasco argentino, cozinha vietnamita, entre outras.

Seu fundador, o italiano Andrea Rasca, tenta conscientizar os visitantes com um modelo de negócio sustentável que ajude a estrutura social e econômica de Londres, e propõe para isso um local que vai além da gastronomia. O Mercato Metropolitano se transformou em um ponto de encontro. Suas instalações, além disso, contam com um mercado siciliano, uma vinoteca, um espaço de coworking, uma academia de boxe e até mesmo um pequeno cinema com uma programação temática que muda por temporada. Principalmente quando chega o bom tempo, seus mais de 4.000 metros quadrados se transformam em uma tentação para se tomar uma bebida e encontrar os amigos.

Locais que mais produzem Stories no mundo:

  1. Jakarta, Indonesia
  2. São Paulo, Brazil
  3. New York, NY
  4. London, UK
  5. Madrid, Spain

Maiores produtores de conteúdo:

1. Anitta
2. Chiara Ferragni (blogueira dos EUA)
3. Anastasia Beverly Hills (marca de maquiagem)
4. Lucas Lucco
5. Claudia Leitte
6. Ivete Sangalo
7. Jessica Iskandar (modelo da Indonésia)
8. Buzova86 (cantora da Rússia)
9. Wesley Safadão
10. Laudya Cynthia Bella (cantora da Indonésia)

Hashtags mais populares:

  1. #GOODMORNING
  2. #WORK
  3. #GOODNIGHT
  4. #MOOD
  5. #HAPPYBIRTHDAY
  6. #TBT
  7. #LOVE
  8. #HOME
  9. #BOMDIA (means hello or good day in Portuguese)
  10. #RELAX

MAIS INFORMAÇÕES