Apple

Apple apresenta iOS 11 e novo iMac Pro

Novo iMac promete ser o computador mais potente da Apple, com processador de 18 núcleos, que custará 16.400 reais

Mais informações

“A última WWDC foi há 15 anos em San José, no coração do Vale do Silício. Esta vai ser maior”, começou Tim Cook, na conferência de desenvolvedores da Apple, a WorldWide Developers Conference. E ressalvou, antes de anunciar as novidades: “Temos muito o que falar esta manhã”. O CEO da Apple avisou primeiro que seriam seis as novidades.

A terceira delas, porém, foi a mais importante: o novo sistema operacional iOS11, a joia da coroa da Apple, que será lançado no segundo semestre. Sua décima versão está em 86% de seus dispositivos, todo um avanço diante da fragmentação do Android, uma dor de cabeça para os desenvolvedores, mas, sobretudo, por uma preocupante brecha na segurança. E, entre o mais celebrado, os pagamentos entre pessoas através do Apple Pay. Dividir o preço de um jantar será tão fácil como mandar uma mensagem de texto e se poderá verificar com a impressão digital, afirmou o CEO da Apple.

Depois chegou a vez da Siri, a assistente pessoal do iPhone, que já opera em 21 idiomas, também uma grande conquista em comparação com a concorrência. “Além disso, tem uma voz muito mais natural”, enfatizaram. Por fim, mostra a conversa e algo também necessário, várias respostas. O mais surpreendente foi a tradução entre idiomas. Agora é possível lhe dizer: “Peça a conta em chinês”, e ela pronuncia. Pouco a pouco, a Apple quer conseguir que traduza mais idiomas, conectando todas as línguas entre si.

A Apple apresentou o Home Pod. Custará 349 dólares.
A Apple apresentou o Home Pod. Custará 349 dólares.

A empresa também quer potencializar o uso de sua câmera com boa qualidade quando houver baixa luminosidade, alta faixa dinâmica e melhor modo de retrato, algo muito comemorado.

A Apple se vangloriou de seus 27 milhões de assinantes do Music, o concorrente do Spotify. A AppleStore já pagou 70 bilhões de dólares (230 bilhões de reais) aos desenvolvedores que vendem seus aplicativos na loja. Depois de nove anos, finalmente, vão projetar a loja outra vez. “Queremos recuperar a magia de descobrir o que há de novo. Contaremos as histórias dos desenvolvedores que as realizam”, disse Phil Shiller, encarregado da vitrine que agora terá três eixos: hoje, aplicativos e jogos.

A Apple começou a falar de algumas tecnologias que até agora eram usadas, mas de maneira sutil, sem que fossem evidentes. O Machine Learning (aprendizado automático) chega aos desenvolvedores para poder reconhecer caras, imagens e padrões.

A realidade aumentada foi a novidade seguinte. O exemplo – como não podia deixar de ser – foi com Pokémon Go, até que chegou a surpresa: lâmpadas sobre mesas que não estavam em cena. E, com a versão de Batman para Lego, a magia que prometem se tornou mais palpável.

Agora se poderá dizer à Siri: “Peça a conta em chinês”, e ela pronuncia

O quinto anúncio foi seu tablet: há um novo iPad Pro, que começa a ser vendido na próxima semana. “O iPad mudou completamente a forma em que criamos, nos conectamos e vivemos. É um pedaço de vidro que nos ajuda. E agora vamos além disso”, afirmou Cook. O novo iPad Pro de 10,5 polegadas foi exibido como uma ferramenta que une lazer ao trabalho, com capacidade de edição de vídeo e fotos. Herda a câmera e a estabilização do último iPhone. O aparelho estará disponível a partir da semana que vem a partir de 699 dólares (2.300 reais).

E o mais surpreendente? A opção de partir a tela com vários aplicativos ao mesmo tempo. O gestor de arquivos Files merece uma menção especial, já que é uma das zonas mais opacas para poder trabalhar de maneira profissional com o tablet. A fronteira entre iOS e Mac é cada vez mais fina. A keynote de San José começou com tvOS, o sistema operacional de sua TV. O primeiro anúncio foi que a Amazon, a gigante da distribuição, chegará antes do fim do ano com Prime Video. Um golpe para o Netflix e a HBO, pois o pagamento da Amazon está incluído na assinatura de envios.

Depois vieram as novidades do Apple Watch, seu relógio inteligente, o mais vendido até o momento na categoria. O foco continua na saúde. A nova promessa no WatchOS é que a agenda seja delegada à Siri: a assistente aprenderá com nossas rotinas e localizações para nos dizer o que poderia nos interessar. Antes já era possível definir Mickey ou Minnie como mostradores do relógio, com grande sucesso entre as crianças. Agora, os personagens de Toy Story são as novas atrações.

A nova versão do Mac se chama High Sierra. Seu navegador Safari é, segundo a Apple, o mais rápido do mercado

A Apple sabe que, para expandir o sucesso do relógio, deve torná-lo social. Ao estilo de Fitbit, agregou desafios mensais e a opção de compartilhá-los com amigos. A empresa percebeu que, em muitas ocasiões, as máquinas de ginástica dão resultados que não correspondem aos do relógio. Daqui para frente, ambos os aparelhos se comunicarão através do chip NFC; bastará aproximá-los. Muito prático – desde que a academia seja de última geração.

O Mac foi o segundo grande anúncio. “É muito importante por sua paixão e criatividade, uma grande integração de software e hardware”, vangloriou-se Cook, dando a palavra a Craig Federighi, um dos executivos mais reconhecidos do Vale do Silício. A nova versão do Mac se chama High Sierra. Seu navegador Safari é, segundo eles mesmos, o mais rápido do mercado. Chega com duas melhorias importantes. Por um lado, impedirá o seguimento de sessão do usuário para proteger sua privacidade. “Não se trata só de que não saiam anúncios, mas também de que não sigam você”, ressaltou. O outro avanço, muito festejado, foi que o aparelho colocará um freio a todo esse conteúdo, especialmente o de vídeo – que começa a ser emitido automaticamente, sem consentimento do usuário.

"O iPhone oferece 40 milhões de canções no seu bolso. Agora queremos reinventar como se escuta em casa", disse Cook

O sistema operacional foi liberado para os desenvolvedores. O foco nos gráficos abre a porta para a realidade virtual em suas máquinas, tanto de consumo como de criação.

A Apple renovou os iMacs. O mais barato, com tela de 4K, sai por 1.299 dólares (3.100 reais). Os portáteis Macbook também foram repaginados e começam a ser vendidos hoje. Para o fim do ano, a empresa promete ainda um iMac com capacidades que desafiam o que foi visto até agora, com um processador de até 18 núcleos. O preço, que até parecia barato pela reação do público, foi de 4.999 dólares (16.400 reais).