Milícias curdas anunciam a retomada de aeroporto controlado pelo Estado Islâmico perto de Raqa

Ofensiva na Síria foi realizada com o apoio da coalizão internacional liderada pelos EUA

Milicianos curdos em Al-Karamah (a cerca de 26 km de Raqa), no domingo.
Milicianos curdos em Al-Karamah (a cerca de 26 km de Raqa), no domingo.DELIL SOULEIMAN (AFP)
Mais informações

Combatentes das Forças Democráticas Sírias (FDS), uma aliança curdo-árabe apoiada pelos Estados Unidos, retomaram no domingo o controle do aeroporto militar de Taqba – 50 quilômetros ao oeste da cidade síria de Raqa – que era controlado pelo Estado Islâmico (EI) desde 2014. “As FDS retomaram completamente o controle do aeroporto militar de Taqba. As operações de limpeza de artefatos e destruição de minas estão ocorrendo para terminar de assegurar o aeroporto”, afirmou o porta-voz da coalizão, Talal Sello, para a France Presse (Afp).

O Observatório Sírio de Direitos Humanos indicou que os jihadistas tinham se retirado do aeroporto por causa do fogo intenso de artilharia e dos bombardeios da coalizão liderada por Washington. A rede britânica BBC informa que a organização de direitos humanos, com sede em Londres, afirma que os bombardeios realizados durante a última semana mataram quase 90 civis.

As FDS tentam forçar a tomada da cidade de Taqba, e a uma represa próxima, em preparação para o ataque contra a cidade de Raqa, capital do autoproclamado Estado Islâmico na Síria. A tomada do aeroporto militar é o primeiro grande sucesso das FDS desde que a coalizão internacional reforçou sua presença militar na região.

O grupo jihadista controlava o aeroporto dede agosto de 2014, onde realizou um dos piores massacres com o assassinato de 200 soldados do regime de Assad. O grupo jihadista está sendo fustigado por várias frentes, com ataques simultâneos das forças governamentais respaldadas pela Rússia e dos rebeldes, apoiados pela Turquia.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: