Seleção espanhola

“Piqué e eu jogamos algumas pedrinhas um no outro, mas agora nos abraçamos”

Antes do jogo contra Israel, capitão da Espanha brinca com a troca de farpas que teve com o zagueiro do Barça

Ramos e Piqué (ao centro), durante treinamento da seleção espanhola.
Ramos e Piqué (ao centro), durante treinamento da seleção espanhola.K. Huesca (EFE)

Sergio Ramos, capitão do Real Madrid e da seleção espanhola, procurou diminuir a importância da troca de farpas que manteve com Piqué a respeito da virada promovida pelo Barcelona contra o PSG, da França, na Champions League. “Nós nos habituamos a jogar umas pedrinhas um no outro, mas levamos isso sem maldade e de forma saudável. E pode servir para vocês venderem mais. Agora vou lhe dar um abraço”, disse o zagueiro na chegada à concentração da seleção espanhola na Cidade do Futebol de Las Rozas, onde a equipe de Lopetegui se prepara para o jogo pelas eliminatórias da Copa de 2018 contra Israel, na próxima sexta-feira, em Gijón. Uma cidade, aliás, que traz boas recordações para Ramos, por ser o local onde ele completou 100 partidas pela seleção.

MAIS INFORMAÇÕES

Pepe Reina, goleiro do Napoli, enfatizou, por sua vez, a importância do confronto e a necessidade de “fazer a lição de casa antes do jogo de volta com a Itália”, com a qual a Espanha deverá disputar o primeiro lugar do grupo.

“O objetivo é conquistar a classificação para a Copa do Mundo. Por isso, o jogo mais importante, para nós, é o primeiro [com Israel], que pode nos dar os pontos necessários. Depois teremos um belo teste contra a França, uma seleção que tem estado bem ultimamente, mas o que realmente nos preocupa são os pontos do jogo com Israel”, disse o goleiro.

“Nenhum jogo entre seleções é fácil. Contra Israel, será preciso dar tudo, pois temos tido demonstrações recentes de que não se deve ir com confiança demais, mas sim atuar com muita humildade sabendo que pode ser um jogo sofrido”, acrescenta.

O técnico Julen Lopetegui continua contando com Pepe Reina em suas convocações, e o já veterano goleiro (34 anos) tem reagido com “grandes expectativas” e com uma “vontade de garoto”. Mesmo sabendo que o titular da posição é David De Gea, sua vontade é “ajudar, acrescentar ao grupo e dar o meu melhor”.

Arquivado Em: