Acidentes aéreos

Mário Sérgio, entre a polêmica e a glória

Ex-jogador, técnico e comentarista estava no avião da Chapecoense que caiu na Colômbia

Mário Sergio em partida pelo Internacional.
Mário Sergio em partida pelo Internacional.

Mário Sérgio, 66, ex-jogador do Grêmio e do Internacional e comentarista dos canais FOX Sports, um dos profissionais de imprensa que morreram no acidente com o avião da Chapecoense, que caiu na Colômbia, será cremado e velado em cerimônia apenas para família em Itapecerica da Serra, em São Paulo, segundo informa o portal UOL. A aeronave levava a Chapecoense para Medellín, onde a equipe disputaria a final da Copa Sul-Americana com o Atlético Nacional. Famoso meia-atacante de muito talento e polêmico analista na televisão, Vesgo, teve carreira de sucesso nos anos 70 e 80 em diversos clubes brasileiros.

Chamado para um teste no Flamengo, em 1969, o carioca Mário Sérgio chamou a atenção dos treinadores da base do Rubro-Negro. A destacada habilidade era fruto dos anos como jogador de futsal por outra equipe carioca, o Fluminense, o que fazia dele mais ágil que os demais. Dois anos depois, deixou a equipe do bairro da Gávea para atuar em clubes nacionais como Vitória, Fluminense, Botafogo, Palmeiras, São Paulo, Internacional e Grêmio. Foi nestes dois últimos, do Rio Grande do Sul, que conquistou suas principais glórias como atleta.

MAIS INFORMAÇÕES

No Inter, venceu duas edições do Campeonato Gaúcho (1981 e 1984) e o Campeonato Brasileiro de 1979, um dos títulos mais importantes do clube. No período entre suas duas passagens pelo Colorado, foi contratado pelo Grêmio apenas para a disputa do Mundial de 1983, contra o Hamburgo, da Alemanha, e o título – o único mundial do Tricolor Gaúcho – foi conquistado após a vitória dos brasileiros por 2 a 1.

Mário Sérgio viveu seu auge em meio a uma grande geração de meias brasileiros, como Rivellino, Zico, Sócrates, entre outros. A concorrência fez com que ele ficasse fora da seleção brasileira em grande competições,  tendo atuado em apenas oito jogos, todos amistosos. Decidiu encerrar a carreira em 1987 com a camisa do Bahia, seu último clube.

Foi do campo ao banco, iniciando a carreira como treinador no mesmo ano de sua aposentadoria. Treinou o Vitória, da Bahia, seu primeiro time como técnico, além de Corinthians, São Paulo, Atlético-MG, Botafogo e Internacional, entre outras equipes.

Como treinador, Mário Sérgio gerou polêmica ao comparar, por exemplo, seus atletas a cavalos. Dizia que deviam ser bem tratados para atuarem bem. Teve problemas pessoais com o também técnico Telê Santana, do São Paulo, trocando farpas pela imprensa. Mas o principal feito na carreira de “Vesgo” com o treinador foi o vice-campeonato brasileiro de 2009, no comando do Inter. Não chegou a conquistar títulos de expressão nessa função, e teve a carreira na comissão técnica encerrada no clube do Ceará, em 2010.

Como comentarista, estreou nos anos 90 na TV Bandeirantes, pela qual comentou as Copas do Mundo de 1990 e 1994. Logo em suas primeiras aparições, chamou a atenção pelas duras críticas a Dunga, capitão do título mundial de 1994, a quem criticava o estilo grosseiro de jogar. Entre as idas e vindas como técnico, interrompeu as atividades na televisão em diversas oportunidades. Voltou às análises esportivas nos anos 2000 de forma esporádica, como convidado. Em 1º de agosto de 2012 estreou como comentarista do FOX Sports. Sempre firme em seus comentários, protagonizou discussões ao vivo e críticas duras enquanto atuou pelo canal, do qual fez parte até seu último dia de vida.

Arquivado Em: