Eleições municipais 2016

No debate na Globo em São Paulo, adversários isolam Haddad

Com o segundo turno em aberto, adversários do petista evitam confronto. Erundina alfineta Marta e Doria

Os candidatos paulistanos debatem na TV Globo.
Os candidatos paulistanos debatem na TV Globo.Reprodução

O atual prefeito Fernando Haddad (PT) foi deixado de lado pelos adversários no debate da TV Globo realizado na noite desta quinta-feira, em São Paulo. Foi o último embate direto entre os candidatos antes do primeiro turno, no domingo. Com o segundo turno em aberto, os maiores rivais do petista na disputa, Celso Russomanno (PRB) e Marta Suplicy (PMDB), evitaram questioná-lo diretamente, mas criticaram sua gestão. Ambos optaram por dirigir suas perguntas para o líder nas pesquisas, João Doria (PSDB), e o nanico Major Olímpio (SDD). O tucano poupou todos os adversários e não entrou em confronto direto com ninguém, mantendo o discurso de que não é político, é administrador. Em diversos momentos ele e Marta fizeram uma dobradinha, com perguntas amigáveis e troca de elogios de parte a parte. Prévias de audiência apontavam que o debate marcou 24 pontos no Ibope, uma audiência alta para o horário.

MAIS INFORMAÇÕES

Quando questionado por Erundina sobre suas propostas na área de mobilidade, Haddad fez questão de criticar todos os adversários que defendem o aumento da velocidade máxima nas vias de São Paulo. "Estão colocando o interesse eleitoral à frente da saúde pública. A ONU recomenda a redução as velocidades”, diz. De acordo com ele, os rivais fazem “demagogia barata”.

A candidata Luiza Erundina, do PSOL, que ocupa a quinta colocação na disputa de acordo com pesquisa Ibope divulgada na quarta-feira, discutiu com Marta e Doria. A deputada federal criticou a reforma da educação proposta pelo presidente Michel Temer, e tentou associar a candidata do PMDB ao Planalto. Contra Doria, Erundina disparou que ele não é "moderno" como se auto intitula, mas “velho quanto qualquer outro político velho”. “Ser moderno é privatizar cemitério?", questionou.

Veja como contamos o debate:

Arquivado Em: