Eleições municipais

Luiza Erundina: “Até o final do meu Governo toda a cidade de SP vai ter passe livre”

Candidata do PSOL à Prefeitura da capital paulista abriu série de entrevistas do EL PAÍS e EBC

Luiza Erundina, candidata do PSOL à Prefeitura de São Paulo.
Luiza Erundina, candidata do PSOL à Prefeitura de São Paulo.Fernando Cavalcanti

A deputada federal e candidata do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina, foi a primeira entrevistada de a série de sabatinas que o EL PAÍS Brasil e a EBC realizam com os candidatos a prefeito da capital paulista pelas eleições municipais 2016, a partir desta quinta-feira, 8 de setembro, até o dia 23. Aos 81 anos, Erundina tenta retornar ao cargo que ocupou em 1989, quando foi a primeira mulher eleita prefeita da maior cidade da América do Sul, à época pelo PT. Erundina deixou o Partido dos Trabalhadores em 1998 para se filiar ao PSB. Em março de 2016, ingressou ao PSOL, mesmo partido do vice de sua chapa, o deputado federal Ivan Valente.

Ao longo dos 30 minutos de entrevista, a candidata falou sobre política nacional, explicou sua saída do PT e PSB e entrada no PSOL, e apresentou algumas de suas principais propostas, sobretudo na área de mobilidade urbana:  "Vamos buscar outras fontes de receita, mas até o final do meu Governo toda a cidade vai ter passe livre. Vamos fazer isso paulatinamente, adequando o sistema", disse. 

Luiza Erundina também criticou a gestão do atual prefeito, Fernando Haddad (PT, candidato à reeleição), que pertence hoje ao partido pelo qual ela foi eleita prefeita, há quase três décadas. "O Haddad pertence a um partido pretensamente de esquerda, é uma pessoa progressista, atenta aos avanços, mas seu governo não é democrático. Já a Marta está no PMDB, o partido do Cunha", alfinetando a concorrente que também já foi prefeita de São Paulo pelo Partido dos Trabalhadores, mas hoje concorre ao cargo pelo PMDB.  "Eu não sai do PT, o PT saiu de mim", explicou. "Eu tava muito incomodada com o PSB, por causa de suas alianças e posições. Eu estava isolada, sem voz, sem concordar com a bancada do partido", completou Erundina, ao explicar sua entrada no PSOL.

Questionada, por fim, sobre o fato de o seu partido não ter tempo de TV devido à falta de alianças, respondeu de forma direta: "A coerência tem um preço".

As entrevistas com os candidatos serão transmitidas ao vivo pelo site do EL PAÍS Brasil e em edição especial do Repórter SP, às 12h30 (de 8 a 16 de setembro) e ao meio-dia (de 19 a 23 de setembro) na TV Brasil, e poderão ser acompanhadas pelo portal EBC. Assista à entrevista com Luiza Erundina na íntegra:

Sabatina com Luiza Erudina

Acompanhe ao vivo a entrevista com Luiza Erundina (candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL). Erundina é a primeira sabatinada pelos jornalistas do EL PAÍS Brasil e da EBC

Gepostet von EL PAÍS Brasil am Donnerstag, 8. September 2016

Arquivado Em: