Seleccione Edição
Login
COLUNA

Onde queres semântica, “simancol”

Uns e outros não se entendem e isso não é apenas questão de fla-flu ou semântica...

Como novo presidente da República, Michel Temer fez juramento no Congresso Nacional.
Como novo presidente da República, Michel Temer fez juramento no Congresso Nacional. EFE

Uns chamam impeachment, outros tascam golpe, por supuesto, sem dó nem piedade. Uns dizem repressão, outros julgam simples confronto. Uns apoiam a carnificina em palavras solenes, outros acusam o papel sujo e classista dos capitães do mato.

Uns ferem e cegam da forma mais sangrenta, fotos que valem por mil editorais. Outros simplesmente despacham os mais cínicos memorandos registrados pela imprensa: “Vamos apurar o caso”. E tome carimbo nas frias notas oficiais.

Uns torcem pelo arrocho econômico, outros já sentem o “jazz” das tripas no ronco. Uns se aposentam aos 50; outros morrerão -daqui por diante- sem previ nem providência divina. Vida que não segue, democracia idem, caríssimo João Saldanha.

Uns e outros não se entendem e isso não é apenas questão de fla-flu ou semântica... Talvez de simancol, genérico em falta nas melhores farmácias.

Outros e uns não se bicam, no que convoco, para um breve palpite, ligeiro sample nessa crônica, nosso maior romancista: “O país real é bom, revela os melhores instintos; mas o país oficial, esse é caricato e burlesco”. Assina que é tua, dom Machado de Assis, ponto, parágrafo.

Uns levam balas de borracha, outros levam balas de chumbo, tudo depende, muitas vezes, da geografia do “confronto”. Outros não, são espertos, comem bolo com champanhe no banquete nada platônico da Fiesp... Por favor, gentil e simpático PM, posso fazer uma selfie?

Uns são delatados ao primeiro espirro, outros contam com o distanciamento teatral (ode)brechtiano dos juízes. Com outros e uns, a balança da Justiça repete o desnível histórico dos seus pratos. Ponto e vírgula, não desisto, segue o processo.

Uns imploram, depois da farsa, que não sejam chamados de golpistas. Uns vão, literalmente, à merda; outros vão à China.

MAIS INFORMAÇÕES