A Copa América 2016 também se joga no Google

'Doodle' destaca o torneio de futebol mais antigo do mundo, que acontece nos EUA até 26 de junho

A Copa América 2016 comemora seu centenário em grande estilo: pela primeira vez na história será realizada fora da América do Sul. Os Estados Unidos são o país onde, de 3 a 26 de junho, dezesseis equipes (dez da CONMEBOL e seis convidadas) jogarão um total de 32 partidas. Mas há mais, porque além da histórica Copa Murature haverá um novo troféu de ouro feito para comemorar o aniversário do mais antigo evento futebolístico do mundo. Por isso o Google também quis se juntar a essa celebração com um de seus doodles. O futebol não apenas inunda as casas em todo o planeta, como também o ciberespaço.

Até se tornar o acontecimento esportivo global que é hoje, a Copa América sofreu muitas mudanças ao longo de seus cem anos. A primeira edição foi realizada na Argentina, em 1916, para comemorar o centenário da sua independência. Foi um pequeno torneio entre os quatro países fundadores da CONMEBOL (Argentina, Chile, Brasil e Uruguai) que deu ao Uruguai o primeiro dos quinze troféus que tem em sua estante. Até 1975, quando adquiriu seu nome atual, era conhecida como Campeonato Sul-Americano de Seleções.

A ideia não demorou a se consolidar e no ano seguinte já existia a icônica Copa Murature, o troféu da Copa América. Foi comprada em uma joalheira de origem francesa de Buenos Aires, a Casa Escasany, por 3.000 francos suíços da época. Pesa nove quilos, mede 75 centímetros e é feita de prata com uma base de madeira onde os nomes dos vencedores são gravados numa placa. Neste ano, além disso, há outro troféu, dessa vez de ouro, que pesa sete quilos, mede 71 centímetros e reproduz a silhueta do original. Foi desenhado pela empresa Epico Studios (Estados Unidos) e realizado pela Londres Workshops of Thomas Lyte (Reino Unido).

Desde o seu nascimento, a Copa América passou por mudanças e esteve repleta de histórias (em 1918, por exemplo, não pôde ser realizada por um surto de gripe no Rio de Janeiro). Uma das decisões mais importantes aconteceu em 1986, quando a CONMEBOL estabeleceu que o comparecimento seria obrigatório para as dez federações que a formavam (com exceção de 2001, quando a Argentina se recusou a participar devido à falta de segurança na Colômbia). Naquele ano, aliás, nasceu o seu mascote, Gardelito, em homenagem ao cantor de tango argentino. E em 1992, às dez federações se juntariam dois países convidados. O México e os Estados Unidos são convidados mais frequentes, o Japão veio em 1999 e em 2011 a Argentina convidou a seleção espanhola de Vicente del Bosque (então campeã do mundo), mas esta recusou.

O Uruguai, com quinze troféus, é o maior vencedor. É seguido por Argentina (catorze), Brasil (oito), Peru (dois), Paraguai (dois) e Bolívia, Colômbia e Chile com um. E os jogadores que marcaram mais gols não foram Pelé, Maradona ou qualquer um dos grandes deuses do Olimpo do futebol. Jair (Brasil), Humberto Maschio (Argentina) e Javier Ambrois (Uruguai) marcaram nove vezes.

O vencedor, aliás, fica com o troféu temporariamente até a realização da edição seguinte, quatro anos depois (embora receba uma réplica). Uma glória efêmera para uma competição legendária.

MAIS INFORMAÇÕES