Assim contamos em tempo real a leitura do parecer pró-impeachment

Por cronograma, relatório deveria ser apresentado até sexta-feira, mas foi antecipado Acompanhe as últimas notícias sobre a crise política no Governo Dilma Rousseff

O relator Jovair Arantes.
O relator Jovair Arantes.E. SA (AFP)
Flávia Marreiro
ANÁLISE | Leia opinião dos especialistas sobre as decisões de Marco Aurélio e Mello sobre Temer http://cort.as/dn15
Rodolfo Borges
A íntegra da decisão de Celso de Mello pode ser lida aqui: http://cort.as/dmw6
Rodolfo Borges
Segundo Celso de Mello, o questionamento apresentado pelo deputado Cabo Daciolo (PTdoB-RJ) “exauriu-se no domínio estrito do regimento legislativo, circunstância essa que torna inviável a possibilidade jurídica de qualquer atuação corretiva do Poder Judiciário".
Rodolfo Borges
O decano do STF, Celso de Mello, disse que "se acha excluída da esfera de competência do Poder Judiciário a possibilidade de revisão de atos ‘interna corporis’, como se qualificam aqueles que se cingem à interpretação e à aplicação de normas regimentais”.
Rodolfo Borges
Ao contrário do que fez o ministro do Supremo Marco Aurélio Mello, seu colega de tribunal Celso de Mello negou nesta noite um mandado de segurança para interferir em decisão do presidente da Câmara de negar pedido de impeachment para o vice-presidente Michel Temer.
Afonso Benites
"Confio que esse relatório não será aceito pela comissão", afirma o advogado-geral.
Afonso Benites
Governo não descarta recorrer ao Judiciário para anular relatório do deputado Jovair Arantes, de acordo com Cardozo. O momento em que isso ocorreria não foi definido.
Afonso Benites
Cardozo: "Quer se construir um crime a qualquer preço, quando o crime não ocorreu".
Afonso Benites
"A impressão que dá do relator é que ele já tinha a conclusão firmada e saiu correndo atrás das premissas a favor do impeachment, afirma Cardozo.
Afonso Benites
Cardozo diz que processo é viciado e feriu direito de defesa ao não permitir, por exemplo, hoje que um advogado de Dilma se manifestasse na sessão de hoje. "Um cerceamento defesa absolutamente clamoroso", diz o ministro.
Afonso Benites
"Relatório é claramente nulo. Ofende a Constituição Federal, o direito de defesa e a lei 1079 de 1950", afirma o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo.
Rodolfo Borges
Sob protesto dos governistas, reunião da Comissão do Impeachmet é encerrada. O presidente Rogério Rosso (PSD-DF) chamou reunião administrativa para a manhã desta quinta-feira.
Rodolfo Borges
Mais um momento de descontração na comissão: o deputado Paulo PImenta (PT-RS) quase se referiu à presidenta Dilma Rousseff como "ex-presidenta". Os deputados da oposição não perdoaram a gafe.
Rodolfo Borges
O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) propôs um acordo para que todos apresentassem as vistas já amanhã, para começarem a discutir o parecer já nesta quinta-feira. A oposição enxerga risco de judicialização se as 48 horas não forem respeitadas.
Rodolfo Borges
O que está em questão na comissão do impeachment: Quanto tempo deve durar o processo de vistas do relatório? O prazo regimental é de 48 horas. Assim, a comissão só poderia começar a debater o parecer de Jovair Arantes na sexta-feira. E teria de seguir pelo fim de semana.
Rodolfo Borges
A Comissão do Impeachment segue agitada após a leitura do relatório favorável ao impeachment de Jovair Arantes (PTB-GO). Enquanto os governistas questionam o relatório, defendendo inclusive sua nulidade, os deputados tentam definir como a discussão seguirá.
Rodolfo Borges
O fim da leitura de quase cinco horas do relatório de Jovair Arantes (PTB-GO) na Comissão Especial do Impeachment foi acompanhado por gritos de "golpista", que rivalizaram com o Hino Nacional cantado pelos deputados oposicionistas e os gritos de "fora PT".
Rodolfo Borges
Flávia Marreiro
Depois de mais de quatro horas, Jovair Arantes conclui a leitura do relatório em que pede que a Câmara instale processo de impeachment de Dilma. Novo momento de gritaria na sessão
Flávia Marreiro
Afonso Benites
Ao final de seu anúncio, Renan mandou um recado: "Nós não podemos ser levianos com a democracia, não podemos menosprezar ou subestimar a importância da separação de Poderes da República."
Afonso Benites
Afonso Benites
Ao rejeitar a denúncia contra Marco Aurélio, Renan alegou a inexistência de justa causa no cometimento de crime de responsabilidade por parte do magistrado.
Afonso Benites

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS