operação zelotes

Lula é intimado a depor em inquérito sobre venda de Medidas Provisórias

Filho do ex-presidente, Luís Cláudio, é investigado pela PF por tráfico de influência

Lula, nesta quinta-feira, em Madri.
Lula, nesta quinta-feira, em Madri.Juan Naharro Gimenez / Getty Images

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá de prestar depoimento na investigação da Polícia Federal denominada Operação Zelotes. Um dos filhos de Lula é investigado neste caso que envolve desde a compra de sentenças no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF) até a venda de uma medida provisória para beneficiar montadoras de automóveis.

A intimação de Lula foi enviada no último dia 3, segundo investigadores da PF confirmaram ao EL PAÍS, e ele terá de prestar esclarecimentos no próximo dia 17. Os policiais suspeitam que o empresário Luís Cláudio Lula da Silva, um dos filhos do ex-presidente, praticou tráfico de influência ao receber 2,5 milhões de reais de um escritório de lobistas investigado pela Zelotes. Os advogados de Luís Cláudio negam essa interferência e dizem que a empresa dele, a LFT Marketing Esportivo, só prestou serviços na sua própria área.

Mais informações

A firma suspeita é a Marcondes e Mautoni. Ela prestava serviços para a MMC Automotores, que é a representante da Mitsubishi do Brasil, e para a CAOA, que produz veículos da Hyundai e revende automóveis da Subaru e da Ford. As investigações da PF mostram que as montadoras pagaram 33 milhões de reais para que duas medidas provisórias fossem elaboradas com o intuito de gerar isenções fiscais de 4,5 bilhões de reais.

Em entrevista ao EL PAÍS, Lula afirmou que seu filho  está subordinado “à mesma Constituição que eu e 204 milhões de brasileiros estamos.” “Se ele cometeu algum deslize e os investigadores, o Ministério Público ou a polícia descobrir, meu filho pagará o preço de ter cometido o erro. Igual a mim, igual a qualquer um, não tem diferença não tem protecionismo. Nós viemos ao mundo para fazer a coisa certa.”

Nesta sexta, em evento deste jornal, em Madri, o ex-presidente Lula citou novamente as denúncias que envolve seu nome. “Eu desafio, mesmo aos empresários que estão sendo delatados, aqueles que estão presos, a dizer se um dia eles tiveram 20 segundos de conversa comigo sobre qualquer coisa que fosse ilegal”, afirmou ele para a plateia do encontro Os desafios dos emergentes. Disse não ter feito nada fora das normas em atividades e viagens nas quais promoveu investimentos e negócios das empresas brasileiras no exterior. "Os políticos temos de fazer esse debate."

Desde o início das investigações, 16 pessoas já se tornaram réus pelo caso. O filho de Lula ainda não foi indiciado pois as apurações contra ele não foram concluídas. O ex-ministro Gilberto Carvalho, que atuou nas gestões Lula e Dilma Rousseff, está sendo investigado no mesmo inquérito. Em outra frente de investigação, na CPI do CARF no Senado, o filho do ex-presidente também foi excluído de qualquer denúncia.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete