assembleia geral da onu

Na ONU, Brasil promete reduzir emissões em 37% entre 2005 e 2025

Rousseff diz que as responsabilidades com a mudança climática devem ser "diferenciadas"

A presidenta Dilma Rousseff, neste domingo, na ONU.
A presidenta Dilma Rousseff, neste domingo, na ONU.R. Drew (AP)

O Governo brasileiro se comprometeu neste domingo ante a ONU conseguir uma considerável redução das emissões de gases do efeito estufa na próxima década. A presidenta Dilma Rousseff prometeu na cúpula pelo desenvolvimento sustentável que o corte alcançará 37% em 2025 em comparação com a situação em 2005.

MAIS INFORMAÇÕES

"O Brasil tem feito um esforço enorme para reduzir as emissões sem menosprezar a inclusão social. Temos diversificado as fontes de energia, investido em agricultura e temos reduzido o desmatamento da Amazônia”, disse a presidenta sobre o papel do país nesse âmbito, apesar da crise política e econômica que atravessa.

A presidenta brasileira disse estar confiante de que a Cúpula do Clima celebrada em dezembro em Paris trará um sistema com “responsabilidades comuns, mas diferenciadas”, já que as metas de desenvolvimento até 2030 aprovados na sexta-feira em Nova York, diferentemente das do Milênio, afeta a todos os países independentemente de seu nível de desenvolvimento, de modo que cada Estado deverá adaptar seu mapa de rota.

Dilma, que manhã falará de novo na Assembleia Geral da ONU, deixou claro que esses esforços pelo desenvolvimento sustentável não vão atrapalhar o crescimento econômico. Dilma disse ainda que o Brasil garantirá que as energias renováveis cheguem a responder por 45% de sua geração energética, quando a média global está em 13%. Também assinalou que tentará erradicar por completo o desmatamento ilegal na Amazônia.

Arquivado Em: