Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Tsarnaev pede perdão às vítimas do atentado de Boston

Em sua primeira declaração durante o julgamento, ele reconheceu a autoria do crime

Dzohkhar Tsarnaev visto em um desenho feito durante o julgamento em Boston.
Dzohkhar Tsarnaev visto em um desenho feito durante o julgamento em Boston. AP

Dzhokhar Tsarnaev pronunciou nesta quarta-feira as palavras que os sobreviventes e familiares do atentado na maratona de Boston –que ele perpetrou com seu irmão, em 2013– já quase não esperavam ouvir. "Eu gostaria de pedir perdão às vítimas e aos sobreviventes", disse o jovem de 21 anos, de origem chechena, durante a última audiência do julgamento, na qual o juiz federal George A. O'Toole leu formalmente sua condenação à morte.

"Eu me desculpo pelas vidas que tirei, pelo sofrimento, pelos danos que cometi", continuou Tsarnaev. "Sou muçulmano. Minha religião é o islã. Rezo para que possam recuperar-se", acrescentou o jovem, que, segundo os presentes na sala, demonstrou emoção ao fazer a declaração.

Sua declaração final foram as últimas palavras que saíram de sua boca diante do tribunal onde nos últimos meses foi julgado pelo atentado que, dois anos atrás, deixou três mortos e 264 feridos. "No caso de que reste alguma dúvida, sou culpado por esse ataque, como também o meu irmão", disse ainda Tsarnaev, antes de ouvir a sentença.

A sentença já tinha sido decidida em maio, de forma unânime, pelo júri, que o considerou culpado de todas as acusações, tanto pelo atentado e suas vítimas como pela morte de um agente durante a fuga de Tsarnaev e seu irmão mais velho, Tamerlan, que morreu antes de ser preso.

As desculpas de Tsarnaev não mudaram a atitude do juiz, que ao ler a sentença de "pena de morte por execução" disse ao jovem que ele somente será lembrado pelo "mal" que fez.

"Ninguém se lembrará de que os teus professores te apreciavam, que você era divertido e um bom atleta", disse o juiz. "Cada vez que o teu nome for mencionado, será recordado pelo mal que você fez, e que você assassinou e mutilou", afirmou.

As palavras de Tsarnaev e a leitura da sentença concluíram uma emotiva audiência na qual cerca de duas dezenas de sobreviventes e parentes dos mortos tomaram a palavra para explicar o que o atentado, um dos piores em território norte-americano desde o 11 de Setembro, representou para suas vidas.

Tsarnaev "optou pelo ódio. Escolheu a destruição, escolheu a morte", disse Bill Richard, pai de Martin, o menino de oito anos que foi o mais jovem a morrer no atentado de abril de 2013, informou o jornal "The Boston Globe".

O acusado "cuspiu no rosto do 'sonho americano', é um covarde e um mentiroso", afirmou, por sua vez, Jenn Rogers, irmã de Sean Collier, o agente que morreu durante a fuga dos dois irmãos.

Apesar de o julgamento de Tsarnaev ter sido concluído nesta quarta-feira com a leitura formal da sentença, o caso está longe de terminar, já que os advogados do jovem anunciaram que apelarão da condenação à morte.

MAIS INFORMAÇÕES