Seleccione Edição
Login

Enfermeira de Madri é o primeiro caso de contágio de ebola na Europa

Profissional da área da saúde contraiu o vírus ao atender religioso morto pela doença

Auxiliar de enfermagem contrai ebola na Espanha

Uma auxiliar de enfermagem espanhola é o primeiro caso de contágio de ebola na Europa. A profissional de saúde fazia parte da equipe que atendeu o missionário espanhol Manuel García Viejo, que morreu vítima do vírus em 26 de setembro, no hospital Carlos III de Madri. As duas análises feitas na mulher deram positivo, segundo fontes do Ministério da Saúde da Espanha.

É o terceiro caso de ebola tratado na Espanha – os dois primeiros morreram – e o primeiro no qual o paciente não foi repatriado da África nem é tratado no hospital Carlos III de Madri. A capital já acionou o protocolo em setembro quando um brasileiro apresentou sintomas inquietantes na Estação Sul de ônibus.

A paciente foi internada pela manhã com febre muito alta. Por conta disso, o hospital acionou o protocolo diante de um possível caso de ebola, e ela foi isolada com urgência. Trata-se de uma mulher de 44 anos que há mais de 15 anos trabalha no Carlos III, de acordo com outras profissionais de saúde desse hospital, consultadas pelo EL PAÍS. As outras colegas de trabalho que, como a infectada, estiveram nos turnos de cuidados dos missionários, mostraram seu espanto pelo contágio, já que as medidas de proteção eram “extremas”. Os profissionais de saúde vestiam dois trajes de proteção, dois pares de luvas e óculos quando tratavam os pacientes.

As colegas da auxiliar infectada explicaram também, em entrevista em frente ao centro, que o hospital não foi evacuado para atender o segundo missionário, pois o sexto andar (destinado aos infecciosos) já estava fechado desde o atendimento ao primeiro paciente. Para acessar esse andar, os profissionais carregam um crachá específico.

O religioso Miguel Pajares morreu em 12 de agosto, pouco tempo antes do falecimento de Manuel García Viejo, de 69 anos, diretor clínico do hospital de Lunsar. Ambos eram membros da Ordem de São João de Deus. Os mortos por conta do vírus já são 3.338, de acordo com a última contagem oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS), de 1 de outubro. Os países afetados, com 7.178 contágios registrados no total, são a Guiné, Libéria, Nigéria, Senegal e Serra Leoa. A Libéria se aproxima já dos 2.000 mortos (1.998, no total), embora a OMS reconheça que os cálculos possam estar superestimados.

Até agora, todos os casos de ebola foram contraídos na África. Falta saber se o liberiano internado no Texas (EUA) contaminou alguém durante o tempo em que demorou a ser internado, depois do hospital o mandar para casa da primeira vez. Se isso for confirmado, será o primeiro caso não africano de ebola.