Eleições 2014

Candidato ao Senado bate em mulher e tem prisão decretada

Coronel Brito, do PEN de Alagoas, deu um tapa na cara de uma eleitora na fila da votação TRE decretou a prisão dele, que está foragido

Um candidato ao Senado de Alagoas, nordeste do país, agrediu uma mulher na fila de votação na manhã deste domingo. A agressão foi flagrada em um vídeo, que foi publicado na internet e, por causa da ocorrência, ele teve a prisão decretada pela presidente do Tribunal Regional de Alagoas, Elisabeth Carvalho Nascimento. O candidato está foragido, segundo o tribunal.

Marcos Antonio Cardoso de Brito, de 60 anos, é candidato pelo Partido Ecológico Nacional (PEN). Ele é Policial Militar e, nestas eleições, concorre com o nome de “coronel Brito”. Ele foi votar em um colégio de Maceió por volta de 11h, acompanhado de dois seguranças, também policiais.

Por ser candidato, ele tem prioridade na fila de votação, mas seus acompanhantes não. A confusão começou porque os dois policiais que estavam com ele decidiram furar a fila para votar logo após o candidato, o que revoltou a população, de acordo com informações da assessoria de comunicação do TRE-Alagoas.

O vídeo publicado no Youtube mostra o bate-boca do candidato com uma mulher, que aponta o dedo para ele. Neste momento, ele dá um tapa na cara dela e sai do local, aos gritos das pessoas que presenciaram a cena e ficaram revoltadas.

Após a denúncia da população, o TRE decretou a prisão do candidato por agressão e desacato –ele também ofendeu os mesários que trabalhavam na sessão. O fato, entretanto, não prejudica as pretensões eleitorais do candidato. Segundo as pesquisas, ele tem 2% dos votos. A reportagem não conseguiu contato com o partido do candidato.

O Tribunal Superior Eleitoral já registrou 990 ocorrências de irregularidades cometidas por candidatos e eleitores neste domingo. As fraudes foram de boca de urna, compra de votos, divulgação de propaganda, transporte ilegal de eleitores, fornecimento ilegal de alimentos, entre outros. Desse total, policiais fizeram 248 prisões, sendo que 22 dos detidos em flagrante concorrem a algum cargo eletivo neste pleito.

Arquivado Em: