A ESCOLHA DA SEXTA

A rota turística dos loucos por futebol

O culto à bola no Brasil pode ter tido mais seguidores no passado. Ainda assim, o país é íntimo dos gramados e oferece aos torcedores fiéis uma rota turística futebolística de primeiro nível

Jovem torcedor brasileiro visita o Museu do Futebol, em São Paulo.
Jovem torcedor brasileiro visita o Museu do Futebol, em São Paulo.Dario Lopez-Mills (AP)

Dizem por aí que o brasileiro 'médio' já foi mais fanático por futebol. Mas, mesmo sendo hoje um sujeito mais crítico e, em parte, desanimado com a própria seleção, ainda reside nele um torcedor orgulhoso, defensor do ‘futebol-arte’ e acostumado a ganhar, e que vê o esporte bretão não como a mera galinha dos ovos de ouro da FIFA – e sim como um velho amigo sempre disposto a proporcionar novas glórias. Para esse brasileiro e para tantos estrangeiros apaixonados que o Brasil recebe nesta Copa, existe uma rota turística pensada para proporcionar uma imersão na nossa vertente de ‘país do futebol’.

Quem recolheu dados de pontos turísticos, estádios, museus e até de lojas que exaltam a paixão futebolística foi o site Impedimento, criado em 2005 por um coletivo de jornalistas interessados nesse universo e unidos sob o slogan “futebol e cultura sul-americana”. O resultado da pesquisa feita por eles em parceria com a Trivela é o Guia Futebol na Veia | Brasil 2014, disponível online em português, inglês e espanhol. Nele, foram reunidos, em cada uma das 12 cidades-sede do torneio, os passeios considerados obrigatórios para torcedores e especialistas – e também aqueles que dão um sabor da cultura do futebol de bairro, tão forte na América do Sul.

A seguir, estão alguns de seus ‘highlights'.

São Paulo

Por mais que não seja um destino famoso pelo turismo, São Paulo – que sediou a abertura do Mundial – proporciona a maioria das atrações. A cidade abriga o Centro de Memória Charles Miller, um espaço que mostra a história do primeiro clube a praticar futebol no Brasil (o SPAC) e de seu dono, Charles Miller, o brasileiro de origem inglesa que é considerado o 'pai do futebol' por aqui. Os paulistanos também foram os primeiros brasileiros a pisar num estádio: o antigo Velódromo Paulistano, construído em 1892 e adaptado em 1901. Foi sede de três times (Americano, Paulistano e Scottish Wanderers) e hoje funciona como teatro no centro da cidade.

Com vários times importantes, São Paulo tem também muitos museus especializados, entre eles o principal Museu do Futebol do país – que mostra as diversas faces do futebol na cultura brasileira, reúne uma biblioteca pública especializada no tema e exibe a camisa 10 que Pelé usou na final da Copa de 1970. Estádios também não faltam. Além do recém-nascido Arena Corinthians, onde aconteceu o jogo de estreia do atual torneio, tem o Morumbi (o maior, que já chegou a abrigar 140 mil torcedores), o Pacaembu (o preferido dos locais, famoso pela ótima visão que tem do campo) e o Allianz Parque (novo estádio do Palmeiras, que substitui o antigo Palestra Itália, e, ainda em fase de obras, foi escolhido por uma revista espanhola como o futuro estádio mais espetacular do mundo), e outros mais. Reduto boêmio que é, São Paulo é rica em bares temáticos, como o São Cristóvão Bar, o Artilheiros, o Veloso, o Bar do Parque e o Filial.

Torcedores se reúnem em bares para celebrar o Mundial.
Torcedores se reúnem em bares para celebrar o Mundial.N. A. (AFP)

Rio de Janeiro

Outro destino de primeira, futebolísticamente e turisticamente falando, é o Rio de Janeiro. Em Laranjeiras, bairro nobre da zona sul da cidade, a seleção brasileira fez seu primeiro jogo, onde, cinco anos depois, surgiu a casa do Fluminense (que, porém, não recebe partidas oficiais desde 2003). Depois, tem atrações como o estádio Figueira de Melo, que pertence ao São Cristóvão. Em sua entrada está exposta a faixa “Aqui nasceu o fenômeno”, fazendo referência a Ronaldo, que começou a carreira no clube. E, claro, está o Maracanã. Os cariocas são donos de um dos grandes estádios de fama mundial – e não só por seu tamanho, mas pela mística. No quesito bares, há uma riqueza de opções, e chama a atenção o México 70, não só um bar temático de futebol, mas um bar temático da mítica Copa do Mundo de 1970.

Demais capitais

Em Porto Alegre, os destaques são a Arena do Grêmio, inaugurada em dezembro de 2013 e considerada o mais moderno complexo multiuso da América Latina, e o Brechó do Futebol, um espaço com bar e uma loja que vende centenas de camisas de times de todo o mundo. Em Curitiba, merece uma visita o Estádio Janguito Malucelli, que se autoproclama o primeiro “ecoestádio” do Brasil. Sua arquibancada é feita com grama, a madeira utilizada é de áreas com reflorestamento e o ferro reaproveitado. E, em Brasília, há atrações como a Rua das Torcidas, um agrupamento de lojas de esportes, dedicadas em grande parte a clubes específicos, e o famoso estádio Mané Garrincha, o segundo maior do Brasil, remodelado há pouco tempo com um investimento de um bilhão de reais.

Pelé inaugura seu museu.
Pelé inaugura seu museu.N. A. (AFP)

Vale lembrar que a paixão nacional por futebol não se limita à grandeza brasileira, como mostra, em Salvador, o Restaurante Taberna, ligado ao antigo Clube Espanhol e que funciona como ponto de encontro dos torcedores do Galícia.

Santos e o futebol-arte

Apesar de não figurar no guia, Santos, cidade portuária localizada a cerca de 70 quilômetros de São Paulo, é considerada o berço do futebol-arte – que, por sua vez, é por excelência a modalidade nacional de jogo. Impossível, para um amante da bola, ignorar as atrações futebolísticas que ela oferece, entre as quais sobressaem o Museu Pelé, inaugurado no último dia 15 de junho, e o Memorial das Conquistas do Santos Futebol Clube.

O primeiro dá conta do talento e da história de Edson Arantes do Nascimento, o maior jogador do mundo, segundo comprovam as estatísticas. Pelé chegou a Santos aos 16 anos e, apesar de ser mineiro de nascimento, a adotou como seu lar. São 4.134 m² de atrações divididas em dois prédios, onde há 180 itens do acervo particular do Rei do Futebol e uma área de exposições interativas (a primeira delas, em cartaz atualmente, foi intitulada 4 Copas e 1 Rei).

Já o segundo, instalado no estádio Urbano Caldeira – ou, simplesmente, Vila Belmiro – é o passeio ideal para quem vibra com as glórias de craques que desfilaram por 100 anos de história de um dos times brasileiros mais famosos no exterior. Fala-se não só de Pelé, mas de Pepe, Coutinho, Dorval, Mengálvio e, mais recentemente, Edu, Robinho, Ganso, Neymar e de tantas estrelas que brilharam em seleções nacionais e que contribuíram para esse ar futebolístico que se respira no Brasil como em poucos lugares do globo.

Arquivado Em: