Seleccione Edição
Login

O Papa, Shimon Peres e Mahmud Abbas invocam a paz no Vaticano

Os presidentes israelense e palestino atendem o convite de Bergoglio, feito durante sua viagem à Terra Santa

O Papa recebe o presidente Shimon Peres hoje.
O Papa recebe o presidente Shimon Peres hoje. EFE

O encontro é no final da tarde, nos jardins do Vaticano. O papa Francisco receberá os presidentes israelense e palestino, Simón Peres e Mahmud Abbas, para invocar juntos a paz no Oriente Médio. Não se trata de um encontro de oração interreligiosa nem muito menos de um ato político. O convite, feito durante a recente viagem de Jorge Mario Bergoglio à Terra Santa, apenas pretende “fazer uma pausa na política para ver desde outra perspectiva e mostrar publicamente o desejo comum de que aconteça algo, de que caminhos que foram fechados se reabram, de voltar a sonhar com a paz”, explicou o franciscano Pierbattista Pizzaballa, um dos organizadores do encontro.

Pizzaballa descarta de antemão que alguém se sinta frustrado caso, depois do ato no Vaticano, não hajam sinais significativos dos Governos israelense ou palestino. “Ninguém pensa”, explicou, “que a paz pode surgir no dia seguinte. Nem sequer se trata de rezar juntos, mas de estar juntos para rezar”. Por isso o encontro foi organizado de forma milimétrica, desde a escolha do local – os jardins, livres de símbolos religiosos que pudessem incomodar alguém — até a cronologia das rezas, que seguirá a ordem de nascimento das três religiões, ou seja, primeiro o judaísmo, depois o cristianismo e por último o islamismo.

O ato se celebrará nos jardins do Vaticano em inglês, hebreu e árabe

Está previsto que os dois presidentes cheguem ao Vaticano separadamente a partir das 18h15. O papa Francisco receberá ambos e terá um breve colóquio com a cada um e, depois, sairão da entrada da residência de Santa Marta para o local da celebração, na que também participará o patriarca ecumênico Bartolomeo. A cerimônia se celebrará em três atos, o primeiro dedicado à comunidade judaica, o segundo à cristã e o terceiro à muçulmana. Todos seguirão o mesmo ritmo de textos e música: oração de agradecimento, petição de perdão pelos pecados cometidos e, finalmente, invocação da paz. A seguir, Jorge Mario Bergoglio pronunciará umas palavras e convidará o presidente Peres e o presidente Abbas a fazerem o mesmo. O programa foi difundido na sexta-feira por Pizzaballa e o porta-voz da Santa Sede, o padre Federico Lombardi, prevê que o ato termine com “um gesto de paz” e “a plantação de uma oliveira”.

No final, e já fora dos holofotes, o Papa e os dois presidentes terão um encontro privado na sede da Academia das Ciências. Posteriormente, Simón Peres e Mahmud Abbas sairão do Vaticano separadamente.

MAIS INFORMAÇÕES