Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Cronologia da Operação Lava Jato

Mais de três anos de um escândalo de corrupção sem precedentes no Brasil

A Lava Jato, a operação iniciada há três anos para investigar uma rede de corrupção na petroleira Petrobras, abalou nesta semana a elite da política brasileira com a decisão do Supremo Tribunal Federal de autorizar que sejam investigadas mais de cem autoridades com foro privilegiado.

Sergio Moro
O juiz federal Sergio Moro, que comanda a Lava Jato na Justiça, no início de abril em Buenos Aires. EFE

2014

17 e 18 de março

Paulo Roberto da Costa, ex-diretor da Petrobras, é detido.
Paulo Roberto da Costa, ex-diretor da Petrobras, é detido. ESTADÃO CONTEÚDO

A polícia detém 17 pessoas, entre as quais Paulo Roberto Costa, diretor de Abastecimento da Petrobras entre 2004 e 2012. A operação é chamada de Lava Jato.

2015

6 de março

O Supremo Tribunal Federal autoriza investigar 12 senadores e 22 deputados por corrupção na Petrobras.

Marcelo Oderbrecht em 2015.
Marcelo Oderbrecht em 2015. REUTERS

19 de junho

É detido o poderoso empresário Marcelo Odebrecht, presidente da construtora que leva seu sobrenome. Ele é condenado a 19 anos e quatro meses de prisão.

3 de agosto

Detido José Dirceu, chefe de Gabinete do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No ano seguinte será condenado a duas penas de prisão, a 23 anos e três meses e de 11 anos.

25 de novembro

O senador do Partido dos Trabalhadores (PT) Delcídio do Amaral é detido por obstruir a investigação. Amaral decide confessar e implica na trama a então presidenta Dilma Rousseff e Lula.

Lula faz uma saudação da sede do Partido dos Trabalhadores.
Lula faz uma saudação da sede do Partido dos Trabalhadores. AFP

2016

4 de março

A Procuradoria acusa Lula de se enriquecer com a corrupção e a polícia o leva à força para depor.

10 de março

A Procuradoria de São Paulo denuncia Lula por lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio.

16-19 de março

Lula abraça Dilma Rousseff durante a posse como ministro.
Lula abraça Dilma Rousseff durante a posse como ministro. Getty Images

Dilma nomeia Lula ministro para que tenha foro privilegiado, mas um juiz impede a posse.

22 de março

Investigadores encontram na Construtora Odebrecht um sistema de corrupção “profissional” baseado no pagamento de subornos.

12 de maio

Rousseff é suspensa do cargo por adulterar as contas públicas, em uma causa separada. Michel Temer, vice-presidente, assume interinamente a Presidência.

23 de maio

Uma conversa vazada derruba o primeiro ministro do Governo interino. Romero Jucá teve de deixar o Ministério do Planejamento horas depois de a Folha de S. Paulo divulgar gravação em que ele sugere articulação para conter a Operação Lava Jato tendo como uma das estratégias o impeachment de Dilma Rousseff. Será o primeiro dos sete ministros que Temer perderá direta ou indiretamente alcançados pela operação.

15 de junho

Michel Temer, no dia de sua posse na presidência.
Michel Temer, no dia de sua posse na presidência.

Temer é implicado na trama por Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, uma subsidiária da Petrobras.

31 de agosto

Dilma é destituída definitivamente pelo Senado. Temer toma posse.

22 de setembro

Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda de Lula e Rousseff, é preso, mas liberado no mesmo dia.

26 de setembro

Eduardo Cunha, em 2015.
Eduardo Cunha, em 2015.

A polícia prende Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda e ex-chefe de Governo de Rousseff.

19 de outubro

O ex-deputado Eduardo Cunha, um ultraconservador que deu o impulso ao impeachment de Rousseff, é preso por corrupção. No final de março de 2017 será condenado a 15 anos e 4 meses de prisão por corrupção.

2017

19 de janeiro

Morre o juiz Teori Zavascki, encarregado da Lava Jato, na queda do avião de pequeno porte em que viajava.

O magnata Eike Batista chega ao presídio Ary Franco.
O magnata Eike Batista chega ao presídio Ary Franco. EFE

30 de janeiro

Eike Batista, que foi o homem mais rico do Brasil, é preso em um desdobramento do caso Petrobras.

16 de fevereiro

Procuradorias de onze países anunciam que investigarão em coordenação os delitos da Odebrecht.

14 de março

O procurador-geral Rodrigo Janot pede a abertura de 83 investigações contra políticos com foro privilegiado, com base nas confissões dos ex-executivos da Odebrecht.

11 de abril

O Supremo Tribunal Federal aceita abrir investigações sobre oito ministros do Governo do presidente Michel Temer. O caso abrange também 29 senadores, pelo menos 40 deputados e três governadores.

MAIS INFORMAÇÕES