Eleições EUA 2020

Coquetel da Regeneron, o tratamento experimental contra a covid-19 recebido por Donald Trump

Presidente americano é tratado com um coquetel de anticorpos monoclonais. Os primeiros estudos indicam que isso pode ajudar a tratar pacientes com coronavírus na primeira etapa da infecção

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na chegada, sexta-feira, ao hospital militar Walter Reed.
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na chegada, sexta-feira, ao hospital militar Walter Reed.JOSHUA ROBERTS / Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está sendo tratado com uma terapia experimental de anticorpos para combater o coronavírus, desenvolvida pela empresa de biotecnologia Regeneron Pharmaceuticals. Especificamente, o presidente americano recebeu sexta-feira uma dose de oito gramas do coquetel de anticorpos monoclonais. Os primeiros estudos sobre esse tratamento indicam que pode ajudar os pacientes a reduzir os níveis do coronavírus no corpo, principalmente quando ministrado na primeira etapa da infecção.

A agência americana de medicamentos (FDA) não autorizou o uso generalizado desse coquetel, chamado de REGN-COV2, mas tem autoridade para permitir seu uso pontual, estudando caso a caso. O diretor executivo da Regeneron, doutor Leonard S. Schleifer, disse ao The New York Times que a equipe médica de Trump tinha solicitado à empresa permissão para usar o medicamento e recebeu autorização da FDA. “Tudo que podemos dizer é que pediram para usá-lo, e ficamos contentes em satisfazê-los”, afirmou Schleifer.

Em geral, os pacientes não têm acesso a tratamentos experimentais, a menos de que façam parte de um ensaio clínico. A Regeneron afirma que seu trabalho está focado em pacientes com infecções graves ou potencialmente letais que não têm outra opção de tratamento viável e não podem participar de um ensaio.

Trump também está tomando vitamina D, zinco, melatonina, aspirina e famotidina (um antiácido), segundo Sean P. Conley, médico da Casa Branca. O nova-iorquino tem 74 anos e pesa 110 quilos, dois fatores que podem agravar seu quadro. O doutor Conley acrescentou que o presidente “completou a infusão sem incidentes” e “continua com fadiga, mas de bom humor”.

Até o final de julho, o líder republicano se negou a usar máscara em eventos públicos e se misturou com multidões na campanha eleitoral em meio à emergência sanitária. Horas antes de Trump anunciar que testou positivo para Covid, ele participou de um evento de arrecadação de fundos em Nova Jersey, onde disse: “O fim da pandemia está à vista”. Os médicos recomendaram que todos os participantes do evento façam o teste. Depois de apresentar febre, congestão nasal e fadiga, Trump foi levado para o Centro Médico Militar Nacional Walter Reed, onde ficará internado durante “alguns dias”.

Mais informações

O mais visto em ...

Top 50