Pandemia de coronavírus

Assessor do Governo britânico se demite após violar confinamento para receber a namorada

O epidemiologista Neil Ferguson foi coautor de um relatório que previa até meio milhão de mortos pela covid-19 se o Governo não endurecesse sua estratégia

Neil Ferguson.
Neil Ferguson.

Mais informações

Neil Ferguson, 51, o cientista que forçou o premiê Boris Johnson a rever sua estratégia contra a pandemia do coronavírus, demitiu-se do comitê que assessora o Governo britânico depois que o diário conservador The Daily Telegraph revelou que ele violou as medidas de confinamento que havia defendido com tanto vigor. Ferguson permitiu que sua namorada, Antonia Staats, 38, que vive com seu marido e filhos em outro domicílio, atravessasse Londres inteira e o visitasse em pelo menos duas ocasiões na sua casa depois de 23 de março, quando o Governo já havia imposto medidas extremas de distanciamento social.

O epidemiologista foi coautor do famoso relatório do Imperial College de Londres que previa até meio milhão de mortos pela covid-19 se o Governo não endurecesse sua estratégia, que até então consistia em recomendar que portadores dos sintomas permanecessem em suas casas durante sete dias. “Admito que cometi um erro de avaliação e fiz algo incorreto. Decidi me retirar do SAGE [Grupo Assessor Científico para Emergências, na sigla em inglês]”, afirmou Ferguson em um nota. “Agi sob a crença de que estava imunizado, depois de ter dado positivo pelo coronavírus e de ter me isolado por completo durante duas semanas após os primeiros sintomas. Lamento profundamente ter prejudicado as ordens claras do Governo sobre a necessidade permanente de manter a distância social para controlar esta devastadora epidemia”, declarou.

Nas últimas semanas, Ferguson insistia na importância de manter o confinamento e defendia que o isolamento social continuasse em vigor no Reino Unido até que os cientistas encontrem uma vacina eficaz contra o coronavírus.

Antonia Staats, por sua vez, alegou não haver nada de hipócrita em seu comportamento e que mantinha uma relação aberta com seu marido. Sob essa premissa, justificou, entendia que o domicílio de Ferguson também era seu lar.

Informações sobre o coronavírus:

- Clique para seguir a cobertura em tempo real, minuto a minuto, da crise da Covid-19;

- O mapa do coronavírus no Brasil e no mundo: assim crescem os casos dia a dia, país por país;

- O que fazer para se proteger? Perguntas e respostas sobre o coronavírus;

- Guia para viver com uma pessoa infectada pelo coronavírus;

- Clique para assinar a newsletter e seguir a cobertura diária.

Mais informações

O mais visto em ...

Top 50